Prefeitura recebe nova usina para produção própria de massa asfáltica

Novo maquinário já está no Complexo Industrial Pedreira e tornará a Prefeitura de Goiânia autossuficiente na produção de massa asfáltica

A Prefeitura de Goiânia recebeu, na segunda-feira, 02/09, a nova usina de asfalto, que tem capacidade para, junto com a antiga, voltar a produzir massa asfáltica para tornar a administração autossuficiente e atender às demandas de pavimentação da cidade.

Com o novo equipamento será possível produzir até 120 toneladas de massa asfáltica por hora que, somadas às 60 toneladas/hora a serem produzidas pela antiga, que está sendo totalmente restaurada, dará celeridade à pavimentação dos bairros, uma vez que a administração não dependerá mais de fornecedores desse produto para as diversas frentes de serviços.

Para o prefeito de Goiânia, Íris Rezende, o compromisso de pavimentar todas as ruas densamente habitadas da Capital ganha ainda mais força com a chegada da nova usina.

“Essa é uma importante conquista para a Prefeitura e para os goianienses. A usina própria veio para garantir que o nosso compromisso seja cumprido, dando dignidade às famílias de Goiânia que tanto esperam por esse benefício”, ressaltou.

Depois de percorrerem mais de dois mil quilômetros, saindo de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul até Goiânia, as três carretas que transportaram a usina, o tanque, duas esteiras e o silo, que formam o maquinário completo, chegaram ao Complexo Industrial Pedreira, localizada no Parque Atheneu, Região Sul da Capital.

A usina tem estrutura de aço e revestimento de ferro fundido. Pesa 43 toneladas e tem dimensões de 22,25 m de comprimento, 3,20 m de largura e 4,30 m de altura. É formada por um tanque bipartido, com capacidade para 40 mil litros de cimento asfáltico de petróleo (CAP) em uma parte e combustível na outra, utilizado para aquecimento dos agregados (pó de brita, brita 1 e brita zero) e produzir o concreto betuminoso usinado a quente, o famoso CBUQ, um dos revestimentos asfálticos mais utilizados nas vias urbanas.

Com a nova usina será possível reciclar material fresado e utilizá-lo para asfaltar as ruas da cidade, sem nenhuma perda na qualidade da massa e da pavimentação.

A nova usina tem duplo sistema de operação: automática, com monitor colorido de 15 polegadas de cristal líquido com matriz ativa e sistema touch-screen incorporado ao painel. Indicações gráficas em todas as etapas do processo. E a operação manual, cujo sistema é independente dos componentes eletrônicos e permite produção sem a utilização do monitor e do Controlador Lógico Programado. Maior segurança e confiabilidade do sistema.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, a nova usina será ativada tão logo seja finalizado o processo licitatório para a aquisição de CM-30, um derivado de petróleo para a produção de CBUQ.

“Estamos finalizando a licitação e logo vamos ativar os motores da nova usina e começar a produzir para cumprir nosso compromisso de deixar nossa cidade 100% asfaltada”, afirma.

Histórico do Complexo Industrial

O Complexo Industrial Pedreira foi instalado há 45 anos (10.05.1974) e, em 1980, foi instalada a usina de asfalto, que funcionou até janeiro de 2017, quando foi desativada. Após um longo processo para reaver a licença de funcionamento, o complexo foi reativado, em 25 de julho de 2018. Com a medida, a gestão recebeu reforço para a produção de insumos que são utilizados em obras e serviços de infraestrutura da Capital, entre eles de pavimentação asfáltica.

Com a autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e do Exército Brasileiro, a Pedreira passou a transformar rochas micaxisto em pedras marroadas, macadames, matacos, além de britas em diversos tamanhos e pó de pedras.

Somente no primeiro dia, a pedreira detonou 8.924 metros cúbicos de rocha, gerando 24 mil toneladas de insumos e a produção diária do local foi de 200 metros cúbicos, incluindo a produção de pedras diversas e o fornecimento para obras externas.

Nara Serra e Guilhermino Vieira, da editoria de Infraestrutura
Foto: Paulo José

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *