Prefeitura de Goiânia fará replantio após remoção de árvores para construção das estações do BRT

Projeto foi autorizado pelo Iphan e compensação será realizada com plantio de outras mudas, de acordo parecer a ser emitido pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma)

As obras do BRT, um dos maiores projetos de mobilidade urbana da história de Goiânia, estão avançando pela Avenida Goiás. No local, o Consórcio executor do projeto vai iniciar a construção das estações e plataformas de embarque e desembarque dos ônibus comuns. Para isso, protocolou nesta quarta-feira, 28, a catalogação das árvores que precisam ser retiradas para que os novos pontos sejam construídos. Como a via é tombada, o projeto foi autorizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Para realizar o laudo, 71 árvores foram avaliadas visualmente no sistema radicular, tronco, ramos (principais e secundários), folhas, riscos (plataforma ou estação, extirpação de raízes, distância mínima de 8,60 metros) e ecologia e paisagem.

Como medida de compensação, o Consórcio sugere o plantio de novas espécies na área de influência direta (canteiros da própria Avenida) e indireta do BRT (bairros e vias paralelas) das espécies Ipê-mirim, Jasmim do cerrado, Quaresmeira rosa, Rabo-de-tucano ou Pau-de-tucano, Estífia vermelha, Pimentinha, Falso-chorão, Falsa-murta, Algodão da praia, Pau-ferro, Sibipiruna e Oiti.

O secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, lembra que a remoção das árvores e a localização das estações e das plataformas na Avenida Goiás foram feitas em acordo prévio com o Iphan. “Na Avenida Goiás seriam nove estações e plataformas separadas e alternadas nos dois sentidos da avenida, mas em respeito ao patrimônio histórico de Goiânia, serão três conjuntas para cada lado da pista”, informa o secretário.

Compensação ambiental

O plano de arborização do BRT prevê o plantio global de 60 mil mudas, o equivalente a 15 pés para cada árvore retirada. O plantio se dará não apenas no itinerário da obra, mas também, nos bairros que estão ligados a ela, tanto direta, quanto indiretamente, atingindo um total de 148 bairros. Do número global, 5.653 são de responsabilidade do sistema e o restante, da Prefeitura.

Nos 21 km do BRT, a previsão é de retirada de 2.462 árvores e onde os serviços estão em execução, foram removidas 1.090 árvores e 852 palmeiras, incluindo as da Rua 90, e já plantadas 1.771 novas mudas em canteiros centrais e passeios públicos, entre a Avenida Independência até o terminal Recanto do Bosque e na Avenida Uru, em Aparecida de Goiania. São árvores com altura mínima de 2 m, das espécies Hibisco, Reseda, Pitanga, Ipê amarelo, Ipê roxo, Ipê branco e Jerivá.

Além dessas mudas no itinerário do sistema, outras seis mil foram plantadas no Morro da Cascalheira, perto do Terminal Recanto do Bosque. Segundo o Consórcio, o plantio é feito na medida da implantação da obra, obedecendo o projeto arquitetônico e paisagístico do lugar e, ao final, o plano compensatório será totalmente atendido, com novos plantios em praças, parques e passeios públicos dos bairros indiretamente atingidos.

Nara Serra, da editoria de Infraestrutura

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *