Blitz educativa alerta motoristas sobre riscos do excesso de velocidade

Durante ação realizada no Setor Central, agentes entregaram kit contendo material educativo que aborda o respeito aos limites de velocidade nas vias

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), realizou uma blitz educativa na manhã desta quarta-feira, 21, sobre os limites de velocidade na capital. A ação envolveu agentes da gerência de Educação para o Trânsito na Avenida Paranaíba, em frente ao Ginásio Rio Vermelho, região que engloba a chamada Zona 40.

“A Zona 40 já foi comprovada que dá certo. Reduz os índices de acidentes em mais de 80% e contraria o pensamento de muitos, pois a velocidade menor traz fluidez ao trânsito, não interrompe o tráfego de veículos e não trava as vias”, destaca o titular da SMT, Fernando Santana.

“Vamos ampliar a área azul com novas vagas de estacionamento para o comércio e o sistema de videomonitoramento para trazer comodidade e segurança às pessoas, seguindo experiências como a da região do Parque Vaca Brava”, comenta.

O objetivo é conscientizar os condutores e pedestres que trafegam pelo local. Osnei Oliveira, morador do Conjunto Aruanã II, disse que sempre passa pela região e parabeniza a ação da Prefeitura por levar conscientização aos motoristas. Opinião reforçada pelo motociclista Hugo Gomes, do Setor Negrão de Lima, que afirmou que passa pela via diariamente e defende a Zona 40 pela “grande concentração de pedestres e veículos” no local”.

Na oportunidade, foi entregue material educativo que aborda o assunto, como respeito aos limites de velocidade da via, orientação aos pedestres, sinalização e a sensibilização quanto aos agentes que compõem o trânsito.

“A velocidade inadequada agrava o acidente e representa o fator de risco que mais relaciona a mortes no trânsito. “O excesso nos limites da via aumenta o número de atropelamento, além dos riscos ao próprio condutor e passageiro”, explica o gerente de Educação para o Trânsito da SMT, Horácio Ferreira.

Horácio destaca ainda que os centros comerciais como Centro, região da 44 e Campinas precisam de maior atenção pelo grande fluxo de pedestres. “É bom lembrar que a Zona 40 reduziu a zero as mortes por atropelamento desde 2016, com a implantação, e a única morte no período foi de um motociclista que trafegava 50% acima da máxima permitida”, exemplifica.

“Outro mito é achar que o excesso de velocidade em áreas urbanas diminui o tempo da viagem. Estudo já realizado na Zona 40 aponta que a diferença entre trafegar dentro da velocidade média atual de 40 km/h ou 50 km/h diminuiu o tempo da viagem em apenas 35 segundos. Ou seja, ínfima diferença, mas que pode significar a vida de alguém”, conclui.

Antonio Bento, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *