Escolhida empresa que vai construir o complexo viário na Avenida Jamel Cecílio

O complexo contará com um elevado, um viaduto em nível e uma trincheira. Considerada de grande porte, a obra terá prazo de 15 meses para ser construída

A Loctec Engenharia Ltda foi a empresa vencedora da concorrência pública, tipo menor preço, para a construção do complexo viário no cruzamento das Avenidas Jamel Cecílio e Marginal Botafogo, na região Sul de Goiânia. No valor de R$ 26.144.357,24, a empresa será responsável pela execução dos serviços de canal, pavimentação e obras de arte especiais e complementares do complexo viário. O julgamento das propostas ocorreu no dia 26 de julho, pela Comissão de Licitação da Prefeitura de Goiânia.

Vencidos os prazos legais para recurso, o processo licitatório será homologado e, após os trâmites obrigatórios – análise do contrato por parte da Procuradoria e da Controladoria Geral do Município –, a Seinfra assinará a ordem de serviços, que dará início aos trabalhos, fato que deverá ocorrer até o final de agosto. Concomitante ao complexo viário será executado o prolongamento da Marginal Botafogo até a Segunda Radial, no Setor Pedro Ludovico, com a licitação já homologada.

O complexo viário da Avenida Jamel Cecílio e Marginal Botafogo é uma das maiores intervenções da atual gestão municipal e vai atingir três artérias de intenso fluxo diário de veículos – Avenida Jamel Cecílio, Marginal Botafogo e Alameda Leopoldo de Bulhões –, que dão destino à saída Sul da Capital e a bairros e condomínios populosos, como o Parque Flamboyant, Alphaville, Portal do Sol, Alto da Glória e o próprio Jardim Goiás.

“Goiânia é uma cidade que não para de crescer, e precisamos acompanhar esse crescimento”, afirma o prefeito Iris Rezende ao destacar a importância estratégica da construção do complexo viário na Jamel Cecílio para destravar o trânsito em uma das regiões mais populosas de Goiânia, no Jardim Goiás. “Nós temos que pensar no futuro. Ou seja, construir vias que facilitem a mobilidade urbana, o que significa uso racional do tempo e melhor qualidade de vida para todos, desde os que utilizam ônibus até veículos individuais”, destaca. Ele ainda faz um alerta para a necessidade de a população compreender que os transtornos das obras de hoje serão a comodidade de amanhã. “Daqui a pouco tempo, comerciantes e moradores estarão tranquilos e festejando a ação da prefeitura”, pontua.

Complexo viário

O complexo viário inclui três elementos diferentes de engenharia, nos mesmos moldes do que ocorreu no cruzamento da Avenida 85 com a Avenida T-63: o elevado, o viaduto em nível e a trincheira, e cada um deles atenderá a uma das vias atingidas. A Avenida Jamel Cecílio vai passar pelo elevado sobre toda a obra; no nível da Alameda Leopoldo de Bulhões será construída a rotatória, na rua já existente; e a Marginal Botafogo passará em trincheira por baixo de tudo. Sobre o viaduto será erguido um monumento, representando simbolicamente o traçado da obra, sendo o elevado o braço e a rotatória, a boca de um violão.

Com essa intervenção, a Prefeitura de Goiânia busca dar maior fluidez ao tráfego de veículos para a Jamel Cecílio e para a Marginal Botafogo e maior acesso a essas duas vias a quem está na Leopoldo de Bulhões, eliminando o semáforo de três tempos no cruzamento e destravando o trânsito. “O elevado na Jamel Cecílio dará fluxo direto para as pessoas que querem atingir a GO-020 ou os bairros e condomínios da região, a Marginal Botafogo vai realmente funcionar como uma via expressa, sem nenhuma interferência semafórica, já quem desce a Alameda Leopoldo de Bulhões terá acesso à direita, na Jamel Cecílio, ou à esquerda, para o Setor Sul, basta fazer o contorno da rotatória e seguir ou retornar à própria Alameda. O trânsito vai fluir para todos os lados, sem interferência de sinaleiro”, explica o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos.

Prolongamento da Marginal Botafogo

O Consórcio Planex Ingá venceu a concorrência pública e será o responsável pela execução do prolongamento da Marginal Botafogo. O processo foi homologado no último dia 23.

A obra será executada com recursos do tesouro municipal, no valor de R$ 13.060.342,90, e tem prazo de sete meses para ser concluída.

Segundo Flávio Máximo de Oliveira, coordenador executivo da Unidade Executora de Projetos do Programa Urbano Ambiental Macambira-Anicuns (UEP/PUAMA), responsável pela obra, a Marginal será prolongada em cerca de 1,5km, da Jamel Cecílio até a Segunda Radial, no Setor Pedro Ludovico.

O Consórcio ficará responsável pela execução de todo o projeto, que inclui a reurbanização do Córrego Botafogo, compreendendo a implantação de pista lateral na margem direita do Córrego, com o respectivo sistema de drenagem e recomposição do leito, conclusão da ponte da Rua 1018, canalização do córrego sob a Avenida 2ª Radial, construção das pontes da Avenida 2ª Radial e alças de acesso à mesma, no trecho entre as Avenidas Jamel Cecílio e 2ª Radial.

Nara Serra, da editoria de Infraestrutura

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *