Robótica criativa lidera atendimentos da Educação no Mutirão

Oficinas de tecnologia com materiais recicláveis movimentou o estande da SME no Jardim Abaporu

Na manhã deste sábado, 1°, teve início a 21ª edição do Mutirão da Prefeitura, realizado no Jardim Abaporu, região Leste. As oficinas de robótica criativa lideraram os atendimentos da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) nos estandes do Mutirão. Alocadas dentro das salas modulares, anexas à estrutura do evento, as oficinas consistiram na criação e montagem de minimotos feitas a partir de materiais recicláveis, como palitos de picolé e tampas de garrafa pet.
Os serviço e projeto foram desenvolvidos pelo Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) da SME e tem como objetivo dar movimento a objetos feitos com material reciclado a partir dos princípios de robótica.  O intuito é oferecer de modo divertido, fácil e criativo as noções de tecnologia e robótica para as crianças. Para Amanda da Costa, costureira e moradora da região, a iniciativa é importante para dar um conhecimento a mais às crianças. Ela, o marido Geraldo e os dois filhos participaram das oficinas de minimotos. “A robótica é importante para desenvolver o conhecimento das crianças, pela curiosidade de sempre conhecer mais. É muito interessante. Meus filhos estudam na Escola Municipal Maria Cândida Figueiredo e o contato com a robótica é muito legal, pretendo voltar mais vezes”, disse a costureira.
Além da Robótica Criativa, a SME ofereceu, também, as atividades de jogos matemáticos no estande, como matix, jogo da velha, quebra cabeça, contig 60, triângulo mágico, quadrado mágico, tangram e desafio dos palitos. Isabela Cristina, de 11 anos, moradora da região e aluna da rede municipal, destacou que ciências é sua matéria preferida na escola e que a matemática é fundamental para o desenvolvimento da ciência. Ela pontuou que achou “muito bom” as atividades propostas. Já Luiza Silveira utilizou as paredes multifuncionais das salas modulares para desenvolver o conhecimento sobre matemática, sua matéria preferida na escola. Ela tem 10 anos e estava ensinando algoritmos de subtração à amiga da mesma idade.
Outro serviço oferecido pela pasta e que rendeu bastante atendimento à população foi a distribuição de mudas do Projeto Horta Escolar. Durante os dois dias de Mutirão, foram destinadas 2.800 mudas de hortaliças do projeto, dentre elas o alface, jiló, quiabo, pimenta e couve. A distribuição foi dentro do Circuito Reciclar é Legal, no qual a população leva um resíduo sólido reciclável – latas de alumínio ou garrafas pet – e troca por uma muda. Isaías Carlos, de 45 anos, sozinho levou 240 latas para cambiar pelas mudas. Ele conta que quis levar metade de alface e metade de pimenta. O morador ficou sabendo da ação por meio da divulgação feita durante a semana pela gestão.
Programa Escola Viva
Fora os serviços oferecidos nos estandes, a SME também executou o Programa Escola Viva em 14 instituições de ensino da região, sendo duas delas – Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Maria Francisca da Silva e Escola Municipal Senador Darcy Ribeiro – com obras realizadas nos dias do Mutirão. As outras doze tiveram recursos do programa liberados para início dos reparos, são elas: Cmei Bairro Santo Hilário, Minervina Maria de Sousa, Jardim das Aroeiras e Tia Jovita e as escolas Virgínia Gomes Pereira, Professor José Décio Filho, Vicente Rodrigues do Prado, Benedito Soares de Castro, Madre Francisca, Maria Cândida Figueiredo, Grande Retiro e Pedro Ciríaco de Oliveira.
O Programa Escola Viva é uma iniciativa da SME que visa a manutenção constante dos prédios das instituições de ensino, com liberação de verba direto às gestões escolares, para promover reformas e reparos gerais na estrutura física, como pintura e limpeza gerais, troca de telhado e revisões elétricas e hidráulicas. O Programa Escola Viva foi uma das primeiras ações implementadas pela nova gestão municipal na área da Educação. Já em 2017, todas as 304 instituições, com conselho de gestão escolar, receberam repasse do projeto, totalizando quase quatro milhões de reais investidos. Em 2018, o procedimento se repetiu e todas as 304 unidades receberam verbas, com investimento de mais quase quatro milhões de reais. Em 2019, já são mais de meio milhão investidos.
Núbia Alves, da Editoria de Educação e Esporte
Fotos: Luiz Fernando Hidalgo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *