SMT participa de Seminário sobre papel da bicicleta na mobilidade urbana

Secretário diz que 80% da malha cicloviária da capital já foi revitalizada e que quatro novas estações de bicicletas compartilhadas serão implantadas em Goiânia no início de junho

O secretário municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade, Fernando Santana, foi o conferencista do seminário “A Bicicleta na Cidade” realizado nesta sexta-feira, 31, no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás – Crea-GO.

Com o objetivo de debater o papel das bicicletas como elemento integrante das políticas de mobilidade urbana, o evento contou ainda com as presenças de Breno de Faria, presidente da Unimed, Fernando Chapadeiro, professor da UEG, e mediação foi da diretora executiva da HP Transportes, Indiara Ferreira. Participaram gestores públicos, profissionais da área, estudantes, professores, profissionais da arquitetura e urbanismo, engenharia e colaboradores envolvidos na temática da mobilidade urbana em Goiás.

Durante o encontro, Fernando Santana anunciou a formação de uma comissão com integrantes do setor para discutir propostas de melhoria do trânsito para favorecer o uso de bicicletas e a integração com o transporte público. Ele também explicou que está em estudo no projeto do BRT a implementação de bicicletários em alguns terminais  com o objetivo de  promover maior integração entre o usuário de bicicleta e o transporte coletivo.

O Secretário também convidou todos os presentes a participarem da inauguração de mais quatro estações do projeto de compartilhamento de bicicletas GyndeBike, que ocorrerá no próximo dia 9 de junho, às 9 horas , no Parque Flamboyant.

As novas estações  do GyndeBike serão implantadas no Parque Flamboyant (uma adulto e uma infantil), Praça do Sol (uma infantil) e IFG (uma adulto). O projeto da Prefeitura de Goiânia é patrocinado pela Unimed é passará a contar com 20 estações, com 200 bicicletas ao todo.

Segundo o Secretário, a malha cicloviária das capitais cresceu 133% desse 2014 e já passa de 3 mil quilômetros. Ainda assim, elas correspondem a apenas 3,1% da malha viária total das cidades.

Goiânia ocupa a sétima posição entre as capitais com 100 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas, que passam por uma ampla revitalização neste primeiro semestre de 2019 já com 80% do trabalho concluído, e que permitem o compartilhamento do trânsito entre veículos e ciclistas na capital. Segundo ele essa extensão é proporcionalmente maior que a de São Paulo, com 490 km, considerando a população das duas metrópoles.

Em sua fala, o secretário Fernando Santana também lembrou a importância da bicicleta como veículo de transporte que contribui para a diminuição de engarrafamentos, da poluição sonora e do ar, e que promove melhor qualidade de vida, além da saúde física e mental dos usuários. O gestor da SMT também comentou que uso da bicicleta também resulta em ganhos econômicos para a sociedade como um todo reduzindo custos na saúde pública e aumentando o consumo de bens e serviços.

“Temos de criar uma cultura para o uso da bicicleta dentro da cidade”, observou Santana, lembrando que os centros urbanos brasileiros são projetados para os carros, e não para as pessoas. “Mudar isso e promover a integração entre os meios de transporte exige o envolvimento de todos os setores”, disse.

O seminário integra o Ciclo de Debates Desenvolvimento Urbano & Mobilidade, que é realizado pela Coordenação Regional Centro-Oeste da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), em parceria com o CAU-GO e apoio institucional do RedeMob Consórcio, CMTC, UFG, PUC, UEG, CNM, ABRACO e UNICERRADO.

Tereza Cosa, da Assessoria de Comunicaçao da SMT

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *