Comurg realiza poda preventiva em árvores

Serviços são feitos após avaliação técnica e ações objetivam evitar quedas de galhos que poderiam por em risco quem passa pelo local

A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) mantém o serviço de corte em árvores de grande porte localizadas em áreas urbanas da Capital. As ações programadas acontecem durante todo ano e as podas são preventivas com objetivo de evitar quedas de galhos que poderiam causar algum tipo de transtorno.  Em doze meses, foram feitos mais de 55 mil cortes, entre podas e retirada das galhadas em árvores de grandes e médios portes.

Na semana passada, aconteceu uma ação preventiva de poda no viaduto da Vila Redenção, na Avenida Emílio Póvoa com a BR153. Uma equipe da Comurg realizou a retirada de três eucaliptos grandes que colocavam em risco a segurança dos motoristas que passaram por lá. As árvores estavam velhas e condenadas, sem condições de recuperação. Na rua 1.060 do setor Pedro Ludovico, foi feita a poda de prevenção de uma guapuruvu, árvore de grande porte.

Outra operação de poda aconteceu na última sexta-feira, 25, quando uma das primeiras gameleiras plantadas em Goiânia teve seus galhos podados preventivamente. A espécie é centenária e fica na Avenida Professor Venerando de Freitas, no setor Jaó.

De acordo com o presidente da Comurg, Aristóteles de Paula, as podas mais emergenciais acontecem em árvores velhas, doentes ou que oferecem algum tipo de risco para população. “A escolha do tipo de poda, a técnica de corte e a época da intervenção são realizadas após laudos emitidos por técnicos da Prefeitura, especializados na área ambiental”, diz.

Ainda segundo o presidente, os serviços preventivos têm objetivo de adequar e padronizar as árvores e arbustos dos logradouros públicos, visando segurança e combinação estética com o local em que foi plantado, além de integridade e bem-estar da própria planta.

A Comurg, além das podas preventivas e emergenciais, realiza podas de limpeza, formação e adequação. Para dar à árvore uma forma adequada durante o seu desenvolvimento, é feita a poda de formação. Nos casos de árvore doente, para eliminar ramos mortos, danificados, doentes ou praguejados é realizada a poda de limpeza. Já a poda de emergência visa a remoção de partes que colocam em risco a integridade física das pessoas e patrimonial. Todo serviço é feito em parceria e supervisão por técnicos da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) e os cortes programados acontecem somente com laudo técnico ambiental.

Silvio Sous, da editoria de Urbanização
Fotos: João de Araújo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *