Plantio de novas árvores é intensificado pela Prefeitura

Mais de 700 exemplares foram plantadas nos canteiros nos últimos dias. Desde o início do ano, a Capital já recebeu mais de 10 mil novas mudas

Seguindo o cronograma de inserir nova arborização nos canteiros das vias de grande fluxo na Capital, a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) já executou o plantio de 720 mudas. As primeiras avenidas a receberem os novos exemplares foram: Avenida Antônio Crispin, na divisa dos setores Grajaú com Santa Fé; Avenida Ipanema, no Jardim Atlântico; Av. T – 9, Jardim América e Avenidas Antônio Fidelis e Alexandre de Morais, no Parque Amazônia, que recebem as unidades nesta terça-feira, 4.

O plantio substitui falhas nos canteiros ou aqueles jamelões que foram removidos. Em outras vias, as novas espécies são colocadas em alternância com os pés de jamelões, para posteriormente remover as árvores que causam diversos problemas por conta dos frutos que caem e deixam o asfalto escorregadio.

O objetivo da administração é aproveitar o período chuvoso e intensificar o plantio, chegando a cinco mil mudas até o final do ano. As árvores são produzidas nos viveiros municipais e possuem de um metro e meio a dois metros de altura. O presidente da Companhia, Aristóteles de Paula, explica que são mudas adequadas para o ajardinamento urbano como: Resedá, Maria pobre, Pau ferro, Sibipiruna, Jacarandá, Acácia, Alecrim Campineiro e Ipê.

A ação cumpre o planejamento estabelecido entre Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) e Comurg que prevê a substituição gradativa de todos os jamelões da cidade. Levantamento aponta que na Capital há 54 vias com a espécie; uma média de 13 mil árvores, plantadas há mais de 20 anos. A substituição ocorre respeitando a necessidade de fazer o plantio de outras espécies nos locais. Mais de 20 tipos foram pré- selecionados e estão nos viveiros municipais para serem plantados, respeitando as características de cada região.

Produção
Os viveiros da Comurg produzem mais de sete mil unidades de árvores por mês, o que dá pra suprir bem a demanda. Para Aristóteles, a produção e o plantio são bem maiores que o número de retiradas, isso para manter o equilíbrio entre o paisagismo arbóreo da cidade e o arquitetônico. “A Prefeitura planta bem mais do que retira, isso melhora o visual da cidade e a qualidade do ar de quem mora na Capital”, afirma.

Plantio

Mais de 10 mil árvores já foram plantadas nas vias da cidade, desde janeiro de 2017 até setembro deste ano. Consta nos registros da Comurg que em outubro, novembro e dezembro do ano passado a soma média foi de 3.500 unidades, período de maior ação. Esse número deve aumentar no mesmo período deste ano, pois, além de manter a ação de substituição por conta das quedas que ocorrem dos exemplares de espécies que não são adequadas às condições climáticas do bioma cerrado, a Comurg também faz doação de boa parte da produção.

Hacksa Oliveira, da editoria de Urbanização
Fotos: André Soares

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *