Prefeitura disponibiliza banco de cadeiras de rodas e aplicativo de transporte acessível

Ações foram lançadas pelo prefeito Iris Rezende no dia Internacional de Luta da Pessoa com Deficiência; Lei das Calçadas foi encaminhada à Câmara Municipal

No Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, 3, a Prefeitura de Goiânia por meio da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA) lançou o aplicativo SimRMTC Acessível, nova versão do programa já usado pelos usuários desde 2015; o banco de cadeiras de rodas e encaminhou o projeto da Lei das Calçadas para apreciação da Câmara de Vereadores.

A versão acessível do Sim da RMTC, que faz o monitoramento do horário do ônibus, amplia a base de 320 mil downloads atual, já usado por 74% dos usuários do transporte coletivo da Região Metropolitana. Foi firmado também o banco de cadeiras de rodas, a partir da doação de 30 cadeiras de rodas do empresário Wander Silva Saraiva – presidente da Associação dos Acidentados do Trabalho do Estado de Goas (Aciteg). Uma cooperação técnica entre a Prefeitura de Goiânia e Aciteg foi assinada.

O prefeito Iris Rezende comemora as ações desenvolvidas pelos Direitos Humanos e a importância de o Poder Público solucionar as questões da cidade. “Goiânia tem uma população diferente, com sentimento humanitário que ajuda na solução dos problemas. Fui buscar esse sentimento de solidariedade e comprometimento do povo para superar o momento de dificuldade que a cidade passava”, disse o prefeito ao agradecer a doação de Wander Saraiva.

O secretário municipal dos Direitos Humanos, Filemon Pereira, destaca que hoje é um dia muito importante por ser um dia de luta. “Os direitos humanos busca igualdade e é com políticas públicas que isso é promovido. O banco de cadeiras de rodas tem um espírito solidário, a criação do aplicativo acessível amplia a modernidade no transporte e a lei de calçadas, projeto que unifica a legislação, vai ampliar a mobilidade na capital”, destaca, ao acrescentar que o beneficiário ou doador pode ligar no 3524-2636 ou ir até a sede da secretaria na Rua 99 nº 66, Setor Sul.

Opinião que é compartilhada pelo deficiente visual Eduardo Silva de Oliveira que acompanhou a solenidade de lançamento de ações no dia de Luta da Pessoa com Deficiência e comemora tanto a lei de Calçadas, como o aplicativo acessível. “Já noto a melhora nas calçadas da capital e com a lei vai melhorar pra nós que temos deficiência e o aplicativo vai ajudar nossa mobilidade e trazer segurança”. Mais de oito mil residências já fizeram a adequação das calçadas e outras 1.200 foram notificadas.

O prefeito Iris Rezende concedeu os primeiros benefícios do novo programa. João Victor Santana, Gianni Vieira dos Santos e Talita Serafim Azevedo receberam bengalas longas importadas. Outros 17 exemplares foram doados pela manhã. Talita Serafim classifica como um ato de solidariedade a ação. “A prefeitura está preocupada conosco, não quer que fiquemos em casa ou acompanhada, mas sim com autonomia para ir e vir”, comemora.

Emocionado, Iris citou o espírito solidário do goianiense e celebrou as ações promovidas pela gestão. “Nosso trabalho é pela qualidade de vida de todos os cidadãos. E a inclusão é uma obrigação do poder público, que deve agir em todas as áreas: da educação à infraestrutura. Seguiremos empenhados, trabalhando diuturnamente para a construção de uma cidade mais justa”, concluiu o prefeito.

Dia Internacional da Luta da Pessoa com Deficiência
Foi instituído pela Organização das Nações Unidas em outubro de 1992, em comemoração ao término da década 1983-1992. A partir de então, a cada ano, no dia 3 de dezembro, é estimulada uma reflexão sobre os direitos da pessoa com deficiência, tanto na instância nacional como na municipal.

Essa iniciativa tem como objetivo conscientizar a sociedade para a igualdade de oportunidades a todos os cidadãos, promover os direitos humanos, conscientizar a população sobre assuntos de deficiência, celebrar as conquistas da pessoa com deficiência e pensar a inclusão desse segmento na sociedade, para que ele influencie os programas e políticas que o afetem.

As Nações Unidas buscam enfatizar os significativos benefícios que a acessibilidade pode trazer, tanto para pessoas com deficiência quanto para a sociedade, e a divulgação desse fato entre os governos, as empresas e o público em geral. Neste sentido, como um dos princípios básicos dos Direitos Humanos, a acessibilidade se insere no contexto mais amplo da promoção da igualdade.

Antonio Bento, da Diretoria de Jornalismo.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *