Orquestra Sinfônica de Goiânia apresenta Requiem de Giuseppe Verdi

Serão dois concertos, um no dia 5 de dezembro, no Teatro Goiânia, e outro no dia 6 de dezembro, na Paróquia Rosa Mística. Apresentações têm entrada franca

A Orquestra Sinfônica de Goiânia apresenta no próximo mês de dezembro o Requiem do compositor italiano Giuseppe Verdi, uma das obras mais importantes do repertório sinfônico-coral de todos os tempos. Serão duas apresentações, no dia 5, no Teatro Goiânia, e no dia 6, na Paróquia Rosa Mística, às 20h, com a participação do Coro Sinfônicos de Goiânia, Coro Sinfônico Jovem de Goiás e Coro Juvenil de Goiânia.

No palco, mais de 250 músicos, entre instrumentistas e cantores, sob a regência do maestro francês Benoit Fromanger, professor na Hoschschule für Musik Hanns Eisler de Berlim e Regente Principal da Sinfônica de Bucareste. Como solistas, se apresentam Ângela Barra (soprano), Mere Oliveira (mezzo-soprano), Hélenes Lopes (tenor) e Sávio Sperandio (baixo).  A entrada é franca, limitada à lotação do espaço.

A obra
No ano de 1873, Alessandro Manzzoni, um poeta italiano, morreu ao tropeçar nos degraus de uma igreja. Verdi o tinha conhecido cinco anos antes e via nele o ideal de artista e patriota, tendo em vista a produção literária nacionalista e os progressos conseguidos na política enquanto Manzzoni fora senador. Alguns dias depois, Verdi escreve ao seu amigo, o editor Giulio Ricordi, e fala de sua intenção de escrever um Requiem em memória do poeta. Parte da música já havia sido composta anteriormente, em uma composição dedicada ao aniversário de morte do compositor italiano Rossini, mas que nunca havia sido tocada. Verdi e sua esposa partiram então para Paris, onde começou ele a trabalhar na composição do Requiem. No dia 10 de abril de 1874 a obra estava concluída. A estreia foi na Igreja de São Marco, em Milão, no dia 22 de maio, sob a regência do próprio compositor.

A Orquestra
A Orquestra Sinfônica de Goiânia foi criada em 1993, pelo Maestro Joaquim Jayme e pelo secretário municipal de Cultura também na época, Kleber Adorno. A instituição, uma das unidades da Secretaria Municipal de Cultura, abriga uma orquestra composta por 75 músicos e um coro de 48 vozes. Tem como objetivos a promoção, divulgação e coordenação das atividades de música sinfônica, além do apoio à música de câmara e lírica a serviço do desenvolvimento cultural de Goiânia. Participa ativamente da vida cultural da cidade, com temporadas regulares de concertos nos principais teatros da capital, além de uma atuação marcante na periferia e na região metropolitana, com apresentações em praças, parques e igrejas. Nos concertos de sua temporada principal, tem contado com artistas de renome nacional e internacional que, junto aos talentos da nossa cidade, fazem da orquestra a mais atuante do Estado.

O maestro Joaquim Jayme esteve à frente da orquestra desde sua criação, em 1993, até sua morte, em 2017, exceto nos anos entre 2001 e 2004, nos quais se revezaram na direção os maestros Marshal Gaioso e Emílio de César. A partir de 2018 passou a contar com um núcleo pedagógico, com a incorporação da antiga Banda Marcial de Goiânia, agora transformada em Rede Municipal de Núcleos Musicais, que culminou na criação de vários grupos de bolsistas e estudantes – Banda Juvenil de Goiânia, Camerata Juvenil de Goiânia, Coro Juvenil e Orquestra Jovem Municipal Joaquim Jayme. A orquestra coordena também, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), vários núcleos musicais em escolas públicas e casas de cultura da capital, com foco na formação musical de crianças e adolescentes e também na conquista de novas plateias. Está atualmente sob a direção do maestro Eliseu Ferreira.

Serviço
Assunto: Orquestra Sinfônica apresenta o Requiem de Giuseppe Verdi
Data: 05 de dezembro, Teatro Goiânia
06 de dezembro, Paróquia Rosa Mística
Hora: 20 horas
Entrada franca

Valéria Almeida, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *