Guarda Civil ganha auxílio com novo sistema de roteirização baseado em Inteligência Artificial

Ferramenta foi doada pela UFG por meio de convênio firmado entre Universidade e Prefeitura de Goiânia. Tecnologia é pautada em parâmetros de eficiência

A chegada da inteligência artificial para o planejamento de rotas da Agência da Guarda Civil Metropolitana (AGCM) é celebrada por toda Administração Municipal. Agora, a instituição que cuida da segurança e proteção do patrimônio público e da população terá disponível uma ferramenta que otimizará o trabalho preventivo. Trata-se do Rota Inteligente, que definirá a rota diária de cada equipe, levando em conta a redução de custo e o aumento de visitas em pontos com maior criminalidade.

O novo sistema auxilia na tomada de decisão do gestor, especialmente no planejamento das rotas. Desta forma, o comando da GCM poderá estabelecer diretrizes e requisitos que, junto aos objetivos de eficiência, vão guiar a busca de rotas otimizadas. Uma ferramenta importante, segundo o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), pasta responsável pela implantação da ferramenta, em vista da complexidade do trabalho que é realizado na Capital, que tem grandes dimensões e densidade demográfica.

De acordo com Ricardo De Val, o Sistema de Roteirização fará uma sequência de atividades já programadas para o início da semana. Ele explica que, antes dos carros saírem da base, o roteiro contendo o percurso que será feito pelos profissionais da Guarda já estará pronto. “A definição desse trajeto pelo sistema é pautado em parâmetros de eficiência. Ou seja, o sistema privilegiará pontos com maior índice criminal e que atenda as restrições estabelecidas pelo comando da GCM. Com isso, pretende-se aumentar a sensação de segurança no Município e reduzir as perdas oriundas das invasões aos prédios públicos”, informa o secretário.

O secretário também esclarece que a aquisição do Sistema de Roteirização pela Prefeitura de Goiânia é fruto de uma parceria entre a Administração e a Universidade Federal de Goiás (UFG). “O código desse sistema foi doado pela UFG à Prefeitura, uma doação de direito de uso, e essa conquista foi possível graças ao convênio assinado pela Universidade e o Executivo Municipal. A transferência da tecnologia foi feito por meio de um trabalho conjunto, que reuniu o Instituto de Informática da UFG e a Sedetec”, destaca De Val.

O gestor revela ainda que, futuramente, a pretensão da Secretaria é inserir a tecnologia doada pela Universidade dentro da Plataforma de Fiscalização recém-lançada pela Sedetec. A ferramenta faz a roteirização georreferenciada, mas ainda não tem a inteligência artificial para calcular a rota menos dispendiosa. “Em breve, iremos aglutinar essas duas soluções para potencializar a eficiência da fiscalização promovida no município”, finaliza o secretário.

Luciana do Prado, editoria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *