Programa LAB da Sedetec estuda implementação do Inventário de TI

Órgão avalia instalação de software que processará relatórios em tempo recorde, auxiliando na função consultiva da pasta

O Inventário de Tecnologia da Informação (TI) está sendo testado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), via diretorias de Infraestrutura e Serviços de Tecnologia da Informação e de Suporte Técnico. O projeto compõe o Programa LAB, no qual são aplicadas várias possibilidades técnicas e diferentes teorias à determinada solução tecnológica, em um ambiente controlado e reduzido, no intuito de avaliar se os resultados são satisfatórios para implantação em toda a Prefeitura.
Segundo a gestora da diretoria, Flávia Messias da Costa, o Inventário de TI é o primeiro teste feito dentro do programa. Ele consiste na instalação de um software, que vai fazer o gerenciamento de todo parque tecnológico da Prefeitura para identificar quais softwares e hardwares – placa mãe, processador, memória, HD – que estão instalados em cada microcomputador da administração municipal. Monitoramento que possibilitará agendar as manutenções preventivas com o intuito de minimizar o tempo de parada por equipamento danificado.
É um software livre, ou seja, custo zero e, como benefício, a ferramenta oferece um novo sistema de atendimento e produz relatórios de forma ágil. Documentos que podem trazer o quantitativo de máquinas da Administração, bem como configurações de hardware e que o compõem esse maquinário. Outra questão levantada pela ferramenta é o deslocamento de máquinas entre departamentos ou secretarias. O software consegue monitorar qualquer movimentação que envolva este tipo de patrimônio da Prefeitura.
Esses dados darão apoio para a função consultiva da Sedetec com informações que poderão auxiliar as tomadas de decisões referentes a melhoria tecnológica. Uma ferramenta que aumentará a eficiência e eficácia do atendimento prestado pela prefeitura. Vale lembrar que a pasta é responsável por dar a soluções tecnológicas na área de TI. “Damos a consultoria daquilo que pode ser melhorado e apoio na implementação. Já as providências de aquisição ou não fica a cargo do gestor de cada órgão”, destaca Flávia.
 “Um caso concreto e que esclarece bem o quanto a ferramenta auxiliará no trabalho executado pela Sedetec foi o que ocorreu em um dos órgãos da Prefeitura. Nós recebíamos chamadas constantes sobre os equipamentos que davam defeitos com frequência. Após inspeção, constatamos que havia um problema elétrico no local. Fizemos, então, uma avaliação da rede elétrica/lógica, das máquinas, um trabalho manual que durou cerca de três dias, vendo máquina por máquina, para se chegar ao correto diagnóstico”, conta a diretora.
Ela acredita que, se o software já estivesse instalado, a Sedetec teria acesso a amplas informações em cinco minutos. “E isso nos possibilitaria dar um retorno imediato. Só o fato de registrar aberturas de Ordens de Serviço que fogem do normal, o sistema já nos direcionaria para atuação neste local que concentra alto quantitativo de chamadas”.
Como está em fase de teste ainda, o laboratório do Projeto Inventário de TI funciona na Sedetec, onde serão promovidos os testes e padronizações. “Iremos também customizar de forma como avaliarmos ser ideal, definindo o melhor aplicativo e o melhor sistema, aqueles que estejam encaixados com as necessidades da Administração. Se der certo, partimos para a parte de implementação na Prefeitura”, informa a gestora.
De acordo com o titular do órgão, Ricardo De Val Borges, o Projeto Inventário de TI complementa um trabalho que é feito hoje, dentro da Administração, de forma manual. “É a modernização que chega para essa área e que dará ciência a todo mobiliário tecnológico concentrado na Prefeitura, possibilitando maior controle do patrimônio com informações de onde ele está e sobre sua depreciação ou descarte. A atividade anual de vistoria desses equipamentos que era feita, passando de sala em sala para checar o estado de cada máquina, já não será mais necessária, pois a ferramenta produzirá o relatório completo contendo esses dados. A ideia é introduzirmos, inicialmente, esse inventário de TI, mas planejamos estender essa forma de controle para todo patrimônio do Executivo Municipal”, destaca o secretário.
Luciana do Prado, editoria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *