Semas presta assistência a moradores de rua

Além da Campanha do Agasalho 2018, o Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS) monitora, aborda e oferece acolhimento, atendimentos e encaminhamento para um abrigo municipal

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), intensificou o trabalho de ajuda a moradores de rua da Capital em função do início do período de frio. Além da Campanha do Agasalho 2018, o Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS) monitora, aborda e oferece acolhimento, atendimentos e encaminhamento para um abrigo municipal. A população pode solicitar uma equipe do SEAS para atender pessoas nessa condição, ligando pelos números (62) 98414 8997 ou (62) 3524 7389.

A Campanha do agasalho, lançada nesta segunda-feira, 21, já está arrecadando cobertores e roupas quentes. O secretário municipal de Assistência Social, Robson Azevedo, explicou que a Semas aceita doações o ano todo, mas nesta época prioriza o recebimento de utensílios que amenizam o frio. “Nesses últimos dias já foram registradas baixas temperaturas, então buscamos parceiros e estamos arrecadando cobertores e agasalhos para ajudar a quem necessita”, disse.
Segundo o secretário, toda ajuda é bem-vinda. Para doar, é preciso levar o material em uma das unidades da Semas, nos endereços: Rua 10, s/n – Setor Sul; Rua 25-A, s/n – Setor Aeroporto, ou Av. Minas Gerais, 839 – Setor Campinas.

Outra ação de ajuda à população de rua é o Serviço Especializado em Abordagem Social, que trabalha com uma equipe de educadores, assistentes sociais e psicólogos e oferece encaminhamentos para atendimentos necessários, inclusive para abrigos municipais. As pessoas em situação de rua podem aceitar o encaminhamento quando forem abordadas pelas equipes e também podem procurar espontaneamente uma das unidades da rede, como a Casa de Acolhida Cidadã ou Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), espaços com estruturas capazes de suprir às necessidades dos atendidos.

Na Casa da Acolhida Cidadã, por exemplo, são oferecidas alimentação, higiene pessoal e pernoite com segurança, bem como atendimento psicossocial. Por sua vez, no Centro Pop, os atendidos contam com um amplo espaço, inclusive com salas de atendimento coletivo e individualizado. Nas duas unidades são disponibilizados atendimentos especializados, como contatos telefônicos com familiares e comunidades terapêuticas.

Somente nos últimos quatro dias, 46 pessoas foram abordadas pelo SEAS. A coordenadora do serviço, Mizmar Simões, explica que o trabalho é de orientação e conscientização para que as pessoas aceitem a ajuda e saiam da situação de rua. ‘O papel da Assistência Social não é retirar as pessoas à força da rua. Nós fazemos a abordagem, sensibilização e encaminhamento, mas a pessoa tem que querer ser ajudada, ressalta.

Valéria Almeida, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *