Seplanh realiza ação de fiscalização de mototáxis em Goiânia

Ação visa coibir o transporte irregular de passageiros na Capital, que atualmente possui cerca de 800 permissionários do serviço

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), em parceria com a Guarda Civil Metropolitana e a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), deu início nesta quinta-feira, 03, a uma série de ações de fiscalização para combater irregularidades no serviço de mototáxis em Goiânia. Durante a ação os auditores fiscais estão verificando a situação do licenciamento do veículo junto ao órgão municipal de trânsito e as condições das motocicletas, além da habilitação do condutor.

Três centrais de mototáxis localizadas no setores Leste Universitário e Leste Vila Nova foram vistoriadas nesta quinta-feira e oito motos que estavam sendo utilizadas irregularmente no transporte de passageiros foram apreendidas. A principal irregularidade detectada pelos auditores fiscais da Seplanh foi o licenciamento vencido dos permissionários junto ao órgão municipal de trânsito. Além disso, uma moto foi apreendida por não estar caracterizada e o condutor não possuir autorização para exercer a atividade.

De acordo com o gerente de Fiscalização de Transportes Urbanos e Postura no Trânsito da Seplanh, João Peres, ações como essa deverão ser realizadas semanalmente visando coibir irregularidades na área. “Toda semana iremos realizar ações para que possamos ter um maior controle na atividade e garantir a segurança das pessoas que utilizam o serviço de mototáxis na Capital’, garante. Hoje, segundo dados da SMT, dos quase 800 permissionários cadastrados, pouco mais de 300 estão em dia com suas obrigações, como o pagamento de taxas e licenciamentos para exercerem a atividade, favorecendo uma concorrência desleal no mercado e uma falta de controle dos valores cobrados.

Outro alvo das fiscalizações, de acordo com o gerente, serão as centrais de mototaxistas que, de acordo com ele, aceitam que motociclistas trabalhem sem possuírem o licenciamento necessário junto ao município. “Não é difícil em nossas vistorias nas centrais encontrarmos mototaxistas clandestinos fazendo ponto. Esses motociclistas trabalham, muitas vezes, com motos descaracterizadas e em péssimas condições, mesmo sabendo que estão colocando em risco a vida deles e das pessoas que diariamente utilizam o serviço”, afirmou João Peres.

Durante a ação desta quinta-feira, oito motos foram apreendidas e recolhidas ao Depósito Público Municipal, sendo sete por licenciamento vencido e uma clandestina. Os proprietários foram autuados e, para retirarem o veículo, deverão pagar multas que variam de R$ 400, para os casos de licenciamentos vencidos, à R$ 1.300, para os veículos clandestinos, além da taxa do guincho, que é cerca de R$ 88, mais R$ 5 por dia de permanência no veículo no Depósito Público Municipal.

Willian Assunção, da editoria de Planejamento Urbano e Habitação.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *