Otimização de vagas depende da criação das 16 Centrais de Regulação em Goiás

Para o prefeito Iris Rezende, todos devem se unir e corresponder suas obrigações legais para garantir assistência médica de qualidade para todos

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, afirmou nesta segunda-feira, 23, que a criação de 16 Centrais de Regulação em Goiás é fundamental para otimizar o fluxo de encaminhamentos de vagas e diminuir a espera por leitos de internação no Estado. Atualmente, além da capital, apenas Anápolis, Aparecida de Goiânia e Rio Verde contam com sistemas regulatórios.

Segundo o prefeito, a ausência dessas estruturas em outras cidades prejudica a gestão da Central de Regulação de Vagas de Goiânia. ‘Apesar de termos uma população de 1,4 milhão de pessoas, estão cadastradas 4,2 milhões em nosso sistema. Ao longo dos anos, a capital foi ficando praticamente sozinha no atendimento de Saúde de todo o estado de Goiás. Essas demandas, entretanto, não estariam sobrecarregando Goiânia se as 16 Centrais de Regulação tivessem sido instaladas’, disse.

Diante desse contexto, explicou Iris Rezende, a Prefeitura de Goiânia decidiu implantar medidas para reorganizar a Central de Regulação de Vagas de Goiânia. Entre as mudanças, o prefeito citou a implantação do novo Sistema Integrado de Gestão da Saúde Pública, estrutura tecnológica que garantiu o fim da fila do chequinho para a autorização de procedimentos médicos de baixa e média complexidade. ‘Tudo está sendo automatizado e reorganizado na área da Saúde. O novo sistema identifica o município de origem do paciente e autoriza os procedimentos. Além disso, as pessoas serão atendidas e o que foi gasto será debitado na cota dos municípios. Por isso, espero que cada autoridade corresponda a sua obrigação’, completou o prefeito.

Outra medida anunciada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para otimizar o fluxo de encaminhamento de vagas está a conclusão nos próximos 20 dias de uma auditoria e redimensionamento dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva em Goiânia. O trabalho, realizado em conjunto com o Governo Federal, vai potencializar a ocupação dos leitos e atualizar o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Todas as mudanças implantadas na SMS, de acordo com o prefeito, já apresentam resultados. As internações em UTIs no período de janeiro a dezembro de 2017, por exemplo, chegaram a 13.696, contra 12.556 do mesmo período de 2016. O incremento foi de 1,1 mil internações, 9% a mais do que o ano anterior. ‘A atual administração está provocando uma verdadeira revolução na Saúde. Além de reformar inúmeras unidades de saúde e entregar outras totalmente equipadas, estamos todos debruçados sobre projetos importantes que vão garantir assistência médica com qualidade para todos’, finalizou o prefeito.

Thiago Araújo, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *