Goiânia já imunizou 91 mil pessoas durante a campanha contra a gripe

Imunização foi antecipada na capital após solicitação ao Ministério da Saúde realizada pela secretária Fátima Mrué

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) divulgou o balanço dos primeiros dias da campanha de vacinação contra a gripe na Capital. Até esta terça-feira, 91 mil doses foram aplicadas em 56 unidades de saúde do município. A imunização foi antecipada na capital após solicitação ao Ministério da Saúde realizada pela secretária Fátima Mrué.

No primeiro momento, a campanha é direcionada às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, trabalhadores da saúde, doentes crônicos ou indivíduos com condições clínicas especiais. Os dois últimos grupos devem apresentar obrigatoriamente prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Os trabalhadores de saúde devem comprovar vínculo de emprego no serviço público ou privado ou carteira de registro profissional.

Durante a abertura oficial da campanha, que ocorreu na última sexta-feira, 13, no Centro de Saúde da Família Ville de France, o prefeito Iris Rezende convocou a população a procurar as unidades Prefeitura de Goiânia para se imunizar. “Vamos trabalhar para que as pessoas sejam atendidas e que casos de complicações da gripe sejam eliminados”, destacou.

A campanha para o primeiro grupo segue até a próxima quinta-feira, 19. A vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é a trivalente, que protege contra o H1N1, H3N2 e uma variação do Influenza B. ‘Um dos objetivos da imunização é diminuir o número de casos graves causados pelos vírus da gripe’, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde da SMS Goiânia, Flúvia Amorim.

Em relação aos grupos prioritários que recebem as vacinas nesta primeira etapa, a escolha se deu por fatores epidemiológicos e clínicos. ‘Os dados apontam que os idosos, assim como os doentes crônicos, estão sujeitos a mais complicações e internações pelos vírus da gripe. Já os profissionais de saúde são os que auxiliam a população e lidam diretamente com os possíveis casos’, finalizou Flúvia Amorim.

Diego Reis, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *