Unidades da SMS Goiânia realizam mais de 1,7 milhão de atendimentos ambulatoriais

Saúde municipal respondeu por 61% de consultas realizadas pelo SUS em Goiânia, em 2017. Atendimentos de urgência chegaram a mais de 740 mil nas unidades da Capital

Relatório do Sistema de Informação Ambulatorial (SIA), da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), aponta que o município de Goiânia realizou 2.927.205 consultas/atendimentos ambulatoriais pelo SUS no ano 2017. Cerca de 1,78 milhão desses atendimentos foram feitos pelas unidades próprias da SMS, o que representa 61,08% das ações realizadas pelo SUS na Capital. Na atenção básica, esse número chega a 99,5% de todos os atendimentos.

De acordo com o relatório, foram realizadas em Goiânia 145.776 internações hospitalares, sendo quase a metade delas (49,8%) de pacientes residentes em outros municípios. O valor faturado com essas internações, cerca de R$ 257,7 milhões, contudo, foi maior para os pacientes do interior, representando 56,63% do total.

Entre os hospitais públicos estaduais que mais receberam por internações em Goiânia estão o Hospital de Urgências de Goiás, o Hugo, que faturou R$ 26,3 milhões em 2017, seguido do Hospital Geral de Goiânia (HGG), com R$ 12 milhões e o Hospital Geral Dr. Henrique Santillo (Hugol), que recebeu R$ 10 milhões.

A ocupação de leitos de UTI apresentou uma significativa melhora no ano de 2017 em relação aos anos anteriores. Foram 13.966 internações em UTIs no período de janeiro a dezembro do ano passado contra 12.556 no mesmo período de 2016. O incremento foi de 1,1 mil internações ou 9% a mais do que o ano anterior, graças as medidas adotadas pela SMS para garantir a disponibilidade do leito contratado pelo SUS.

Dessas internações em leitos de UTI em 2017, o total de 5.921, ou 43,23%, foram de pacientes residentes em Goiânia e 7.775 de residentes em outros municípios, o que corresponde a 56,77% do total de internações.

Goiânia tem aproximadamente 4,2 milhões de inscritos no SUS que se declaram residentes na Capital, o que representa quase três vezes o número de habitantes da cidade. No ano passado, a Prefeitura de Goiânia aplicou 20,73% da receita própria na saúde, conforme consta nos relatórios do SIOPS. O índice foi maior que o aplicado nos últimos três anos e acima dos 15% previstos na Lei Complementar nº 141 de 2012.

As receitas para apuração e aplicação nas ações e serviços públicos de saúde totalizaram R$ 2,5 bilhões, sendo R$ 1,37 bilhão de receita de impostos líquida e R$$ 1,12 bilhão de receita de transferências constitucionais e legais. No total, incluindo o valor para cumprimento das vinculações constitucionais, a Prefeitura aplicou R$ 1,17 bilhão na área da saúde em Goiânia durante o ano de 2017.

Cloves Reges, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *