Seinfra limpa mais de 6 mil bocas de lobo em Goiânia

Serviços realizados até agora recolheram mais de mil toneladas de lixo dos bueiros

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) executa hoje, 06, os serviços de limpeza de bocas de lobo nos setores Vila Mutirão, Setor Oeste, Setor Bueno, Jardim Guanabara, setor Norte Ferroviário e região. Nos meses de janeiro a março deste ano, a Seinfra realizou 1.514 vistorias em bocas de lobo, limpou 6.278 e recolheu mais de mil toneladas de lixo. Um trabalho que ocorre de forma intensificada durante o período chuvoso na tentativa de evitar alagamentos de ruas, calçadas e até de residências. No ano passado, cerca de 30 mil bocas de lobo receberam os serviços de limpeza e mais de 3 mil toneladas de lixo foram recolhidas das bocas de lobo.

Os serviços de limpeza são realizados diariamente, durante o ano inteiro, como prevenção para o período chuvoso, mas a população também deve fazer a sua parte, sendo que a primeira atitude é não jogar lixo nas ruas e calçadas, pois mesmo os pequenos resíduos, quando acumulados, entopem os bueiros. O serviço é realizado manualmente e por meio de um caminhão hidrojato que dispara, quando necessário, jato de água em alta pressão para desobstruir galerias de águas pluviais entupidas com resíduos sólidos.

A Seinfra pede a colaboração dos moradores, já que o entupimento das bocas de captação pluvial (bocas de lobo) está diretamente ligado ao mau hábito da população de jogar lixos nas ruas e calçadas. Os efeitos aparecem principalmente no período chuvoso, quando o lixo que vai parar nas bocas de lobo impede o escoamento da chuva e a água acumulada invade ruas, calçadas e até residências. Garrafas pet, embalagens plásticas, pneus velhos, latinhas e “sacolinhas de lixo” são os objetos mais encontrados nas bocas de lobo.

O cidadão que quiser solicitar os serviços de responsabilidade da Seinfra pode ligar nos telefones 3524-8363 e 3524-8373. Os pedidos entram no cronograma de trabalho do órgão e tramita com rapidez para que os serviços sejam executados

Guilhermino Vieira da Editoria de Infraestrutura

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *