Medidas adotadas pela Saúde Municipal permitem maior aproveitamento de UTIs

Em 2017 houve uma maior utilização de leitos de UTIs em Goiânia. Ações desenvolvidas pela SMS, como auditorias, por exemplo, incrementaram em cerca de 9% a disponibilidade de unidades de terapia intensiva na Capital

Medidas adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia no primeiro ano da atual gestão resultaram em maior aproveitamento dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTIs) na Capital. As internações em UTIs no período de janeiro a dezembro de 2017 chegaram a 13.696 contra 12.556 do mesmo período de 2016. O incremento foi de 1,1 mil internações ou 9% a mais do que o ano anterior.

Entre as medidas que permitiram um melhor aproveitamento desses leitos especiais, destacam-se as auditorias realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Foram realizadas 981 auditorias em 109 estabelecimentos de saúde no ano de 2017.

Considerando a faixa etária dos pacientes, no ano de 2017, a frequência maior de internações em UTI ocorreu em criança menor de 1 ano de idade (14%) e nos idosos de 80 anos acima (11%).

Nos anos 2013 a 2017, destaca-se a redução no percentual de internações de pacientes menores de 1 ano de idade, passando de 17% no ano 2013 para 14% em 2017. Na faixa etária de 80 anos e mais houve aumento, passando de 8% em 2013 para 11% no ano passado.

Dessas internações em leitos de UTI em 2017, o total de 5.921, ou 43,23%, foram de pacientes residentes em Goiânia e 7.775 de residentes em outros municípios, o que corresponde a 56,77% do total de internações.

Já em leitos comuns, o número de internação chegou a 145.776, com destaque para os procedimentos cirúrgicos, que chegaram a 84.338, cerca de 15% a mais do que o ano de 2016.

Cloves Reges, da Diretoria de Jornalismo.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *