Em entrevista, prefeito Iris Rezende defende participação da população nas melhorias da cidade

Iris convocou os moradores de Goiânia a ajudarem a gestão e falou sobre os serviços prestados, compromissos atendidos e perspectivas para os próximos anos

“O nosso objetivo é contornar os problemas e fazer com que Goiânia retome aquele ritmo de vida e trabalho, imprimindo confiança. A Capital é uma das poucas cidades com mais de 1 milhão de habitantes que não convive com favelas. É um centro de ensino superior e comercial impressionante. E quando me dispus a me candidatar, foi para fazer a mais bela administração da minha vida”, disse o prefeito Iris Rezende durante entrevista ao Jornal Brasil Central, da TV Brasil Central (TBC), nesta quinta-feira, 1º de março.

De acordo com ele, desde o primeiro dia da administração municipal tem se debruçado no trabalho. “Tinham servidores da Saúde de greve e mesmo assim não descansei um dia. Só fiz viagens para buscar soluções. Eu recebi a prefeitura com dívidas de 600 milhões só de prestadores. As empresas suspenderam o trabalho. Chamei cada empresa, conversei com todas e disse que as dívidas seriam pagas e que, dali pra frente, os acordos seriam honrados”.

Iris lembrou que voltou a pagar os salários dos servidores em dia, antes do dia 5 de cada mês, e que obras importantes, como o BRT, que estavam paralisadas, serão imediatamente retomadas. Nesta quarta-feira, foi assinado, juntamente com o Ministério Público e a Caixa Econômica Federal um termo de acordo para finalizar a parte norte do corredor e, na sequência, a parte sul.

Acerca dos quase 30 bairros que estão à espera de asfalto, o prefeito disse que ainda este ano a maioria deles começará a receber obras e até o final da gestão todos serão devidamente atendidos. Na Educação não será diferente. “Na administração anterior foi realizado um concurso público e já convocamos cerca de três mil concursados e vamos chamar mais profissionais. Sou apaixonado pelos Cmeis, para que as crianças possam ser cuidadas para que os pais possam trabalhar. Vamos convocando de acordo com as possibilidades”, explicou o prefeito sem incluir, no entanto, a última convocação, em 28 de fevereiro, que chamou 1.302 concursados.

Saúde

O prefeito Iris Rezende lembrou também a situação que encontrou a Saúde no município, quando mais de 4 milhões de pessoas estavam cadastradas como moradores da cidade, que tem pouco mais de 1,5 milhão de habitantes. “Não vamos deixar de atender nenhuma pessoa que venha buscar atendimento, mas desde que venha regulado pelo município de origem”.

Com a implantação de um sistema informatizado de marcação de consultas, exames e procedimentos, para substituir o antigo chequinho, as enormes filas de espera nas unidades de saúde e na Central de Regulação deixaram de existir. “Também estamos reformando e equipando nossos postos de atendimentos. Já reabrimos unidades, como os Ciams Urias Magalhães e o Novo Horizonte, e o Ciams do Jardim América está sendo reformado”, destacou Iris.

“Chegou ao meu conhecimento a falta de pagamento aos prestadores do Imas e determinei que faça um mutirão, pois agora a prefeitura está pagando em dia, para pagar todos os prestadores e em duas semanas não tem ninguém para falar que não recebeu da prefeitura”, afirmou o prefeito ao ser questionado sobre os problemas enfrentados pelos usuários do plano de saúde do município.

Urbanização e infraestrutura

O prefeito também falou sobre a situação da Comurg, limpeza e manutenção urbana. “A cidade, quando assumi, estava parecendo um chiqueiro. Não vi mais nenhum papel nas ruas. É a prefeitura? É a prefeitura trabalhando com o povo. É a minha filosofia de trabalho, do mutirão, da população ajudando. Já trocamos cerca de 60 mil lâmpadas, a cidade já está limpa. Falhas pontuais ocorrem, mas nós vamos lançar um programa de limpeza que a população vai nos ajudar”.

Política

“Sobre a minha candidatura, eu não podia ficar de braços cruzados sabendo a situação que estava a cidade e, então, me candidatei. Vou ficar até o último dia do meu mandato e é o último mandato da minha vida. Estou lutando e vou lutar encerrando uma carreira de 60 anos, desde que fui eleito vereador pela primeira vez”, respondeu Iris ao questionamento do motivo de ter voltado à vida pública.

Sobre a relação com o governo do Estado, o prefeito disse que as lutas políticas e partidárias devem ser deixadas para as eleições. “Quando a gente assume o poder, as brigas políticas não podem virar mágoas ocorridas durante a campanha e o nosso relacionamento com o governador é de sentimento de compromisso com a população”.

Iris não deixou de se posicionar em relação à disputa eleitoral deste ano. “Há um ano eu previa esse quadro político de agora. Eu tenho comigo aquele sentimento de que a oposição dividida fica enfraquecida. Eu disse em uma reunião de lideranças que no momento exato vou conversar com cada um, Daniel Vilela e Ronaldo Caiado, e vou fazer um esforço tremendo para unir os dois, mas se não conseguir, eu vou apoiar o candidato do meu partido”.

Rafhael Santana, da diretoria de Jornalismo.
Foto: Jackson Rodrigues

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *