Na Câmara, prefeito Iris Rezende destaca investimentos na Saúde

Na ocasião, vereadores reconheceram a importância das mudanças que estão sendo promovidas pela atual gestão na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e dos investimentos que em 2017 chegaram a R$ 1,176 bilhão

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, apresentou nesta segunda-feira, 19, durante a prestação de contas na Câmara Municipal, os investimentos realizados pela atual administração na área da Saúde. Entre os avanços, o chefe do Executivo destacou a entrega dos Centros de Saúde da Vila Redenção e do Recanto das Minas Gerais e a reabertura, no último sábado, 17, do Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) Urias Magalhães.

Segundo o resultado orçamentário exposto aos vereadores, no ano passado a Prefeitura de Goiânia investiu R$ 1,176 bilhão na área. Para efeito de cômputo foram aplicados R$ 515,1 milhões, o que representa 20,73% da receita municipal, 5,73% a mais do valor estabelecido constitucionalmente. ‘Retomamos obras importantes a partir da destinação desses recursos, como a Maternidade Oeste, e iniciamos a construção da UPA do Jardim América. Também reformamos mais de 60 unidades do Programa Saúde da Família e contratamos mais de 500 médicos’, pontuou Iris Rezende.

Na ocasião, o prefeito lembrou ainda da modernização do sistema de gestão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que começou a funcionar no final de novembro do ano passado. ‘Extinguimos o modelo antigo de marcação de exames, conhecido como chequinho, e implantamos medidas para garantir conforto aos pacientes’, salientou.

Antes da mudança no sistema tecnológico, os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) tinham que se dirigir à sede da Central de Regulação de Vagas, localizada no Jardim Goiás, para marcar os procedimentos. Atualmente, os pacientes podem agendar os exames nas unidades de saúde onde foram atendidos.

Em seguida, Iris Rezende apontou as dificuldades enfrentadas pela SMS com relação a sobrecarga de atendimentos de pacientes oriundos de municípios goianos e de outros estados. ‘Os municípios vão empurrando para Goiânia o atendimento e não repassam a verba do Ministério da Saúde’, disse, afirmando posteriormente que Goiânia recebe recursos para garantir assistência de 1.455 milhões de cidadãos, mas atende cerca de 4 milhões.

Por fim, apesar do cenário adversidade econômica vivenciado pelas prefeituras brasileiras, Iris garantiu que a Saúde de Goiânia será, em breve, referência nacional. ‘Foram investidos mais de R$ 1 bilhão em 2017 e realizadas mudanças estruturais. Neste ano em curso a prioridade continuará sendo a Saúde e em breve seremos reconhecidos pelo trabalho realizado’, finalizou.

Reconhecimento dos vereadores

Durante a sessão, os parlamentares também comentaram sobre os trabalhos promovidos na SMS. O vereador Cabo Sena disse que a reabertura do Ciams Urias Magalhães representa um avanço para os moradores da região Norte da capital, uma vez que tem capacidade para atender mais de 8 mil por mês.

Já o presidente da Câmara Municipal, Andrey Azeredo, retomou a discussão a respeito da pactuação entre os municípios e argumentou que as prefeituras do interior precisam assumir o compromisso de custear a assistência oferecida por Goiânia a pacientes de outras regiões.

Por sua vez, Romário Policarpo frisou que as medidas tomadas pela atual gestão são necessárias e imprescindíveis para melhorar o atendimento e garantir qualidade na rede municipal de saúde. ‘Estou convicto e seguro das mudanças implantadas pela secretária Fátima Mrué. A gestão está mudando paradigmas e as filas estão acabando’, concluiu.

Thiago Araújo, da Diretoria de Jornalismo

Fotos: Jackson Rodrigues

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *