Prefeitura garante medicamentos aos diabéticos cadastrados em Goiânia

Insumos são fornecidos pela administração municipal nas unidades básicas de Saúde e visam proporcionar aos diabéticos uma melhor qualidade de vida

A Prefeitura de Goiânia, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a Procuradoria-Geral do Município (PGM), esclarece que o programa de assistência aos portadores de diabetes da Capital, referência no cenário nacional, continua sem qualquer alteração. Portanto, o cadastramento e acompanhamento dos pacientes pela SMS e fornecimento dos insumos necessários ao tratamento da doença seguem sendo oferecidos pela rede municipal de saúde.

Diferente do que tem sido divulgado, a SMS fornece o tratamento a todos os diabéticos nas unidades básicas de saúde. A insulina comum nunca foi desabastecida nas unidades de saúde.

Mesmo sem qualquer incentivo do Ministério da Saúde, o fornecimento dos análogos à insulina Lantus (Glargina), Humalog (Lispro), Levemir (Determir) e Novorapid (Aspart) serão arcados para os pacientes cadastrados e em acompanhamento que necessitam especificamente desses medicamentos.

Em 2016 o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) ajuizou ação civil pública para obrigar o Município de Goiânia a fornecer os análogos de insulina a todos os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 15 de dezembro do ano passado, foi julgado procedente o pedido. Nessa questão, a Procuradoria-Geral do Município esclarece que a Prefeitura de Goiânia já fornece normalmente os medicamentos.

A PGM, por sua vez, ressalta ser necessária a divisão dos custos com o Estado para que os pacientes com diabetes tenham tratamento digno e merecido. Os custos desses medicamentos não podem ser custeados apenas pela Prefeitura que não tem recursos suficientes e cumpre o cumpre o papel de ajudar a fornecer tratamento digno aos pacientes diabéticos cadastrados em Goiânia.

Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *