Médicos e enfermeiros participam de curso sobre doenças causadas pelo Aedes aegypti

Com o aumento de casos no período chuvoso, objetivo é atualizar os profissionais sobre os aspectos epidemiológicos e o manejo clínico de dengue, zika e chikungunya

Cerca de 800 trabalhadores da área de saúde que atuam nas redes pública, conveniada e privada de Goiânia, como médicos e profissionais de enfermagem, participam nesta quinta-feira, 25, de uma capacitação sobre aspectos epidemiológicos e manejo clínico de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

O evento faz parte das estratégias da Prefeitura de Goiânia para situações de possível aumento dos casos de dengue, zika e chikungunya. O curso será realizado no auditório do Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás, no setor Bueno, e turmas divididas em dois turnos, um matutino e outro vespertino.

Historicamente, com o início do período chuvoso há um aumento no número de notificações de dengue e outros males causados pelo Aedes. ‘Trabalhamos tanto para evitar que o vetor se prolifere quanto para garantir atendimento à população infectada com as doenças transmitidas por ele’, destaca a secretária de Saúde, Fátima Mrué.

Além da intensificação das estratégias de combate ao mosquito, a capacitação dos profissionais faz parte das ações da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) para preparar a rede de assistência em saúde para um provável aumento dos casos.

Profissionais que atuam nas unidades básicas e de urgência 24 horas da rede municipal participarão do curso para receber os usuários do Sistema Único de Saúde que procurarem Cais, Ciams, UPAs e Centros de Saúde da Família de Goiânia.

Os representantes dos conselhos de Medicina e Enfermagem, da Secretaria Estadual de Saúde e de Hospitais privados e filantrópicos que prestam serviços para a SMS também estarão presentes no evento.

Com o curso, será possível discutir com os participantes tantos aspectos clínicos, como sinais de gravidade, procedimentos para confirmação de diagnóstico, tratamento e critérios de acompanhamento, quanto apresentar um panorama dos casos das doenças no município.

Programação

Dentre os palestrantes está o médico infectologista e consultor internacional da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Kleber Giovanni Luz. O profissional é referência no manejo clínico de chikungunya, doença que causa preocupação para as autoridades de saúde pública.

Como é grande a quantidade de pessoas que nunca tiveram contato com o vírus na capital, a SMS já está em alerta para uma possível epidemia da doença durante o verão. Casos autóctones, que são aqueles transmitidos no próprio município, já foram notificados em Goiânia.

Kleber Luz, que também é professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, possui experiência no manejo clínico das doenças causadas pelo Aedes aegypti em pacientes pediátricos na região Nordeste do Brasil.

‘As crianças são consideradas uma das populações mais sensíveis ao vírus tipo 2 da dengue e já há registros da circulação deste sorotipo em Goiânia’, explica a superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, Flúvia Amorim.

Os aspectos epidemiológicos das chamadas arboviroses, doenças transmitidas por insetos e causadas por vírus que incluem o da dengue, chikungunya e zika, serão apresentados pelos professor do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP) da Universidade Federal de Goiás (UFG), João Bosco de Siqueira Júnior.
Já a situação epidemiológica em Goiânia será discutida pela superintendente em Vigilância em Saúde e mestre em Epidemiologia pela UFG, Flúvia Amorim.

Confira aqui a programação.

Serviço

Assunto: Curso de Atualização em Aspectos Epidemiológicos e Manejo Clínico de Arboviroses de Importância em Saúde Pública, com Ênfase em Chikungunya

Data: Quinta-feira, 25 de janeiro de 2018
Horário: Das 7h30 às 12h e das 14h às 17h.
Local: Auditório do Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (CREMEGO)
Endereço: Rua T-28, Qd. 24, Lt. 19/20, n° 245, setor Bueno, Goiânia-GO

Pedro Ferreira, da editoria de Saúde

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *