Goiânia e Aparecida juntas no dia D contra o Aedes aegypti

Equipes de saúde das duas cidades percorrem a divisa nas proximidades do Parque Atheneu, região leste de Goiânia, em busca de focos do mosquito e conscientizando os moradores

Teve início na manhã de hoje, 8, o dia D, uma campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti e que tem o objetivo de alertar a população quanto aos perigos provocados pelo transmissor da dengue, zika e febre chikungunya.

Mais de 300 agentes de Goiânia e Aparecida começaram os trabalhos a partir da praça da feira no Parque Atheneu. A ação conta com apoio do Ministério da Saúde, Corpo de Bombeiros e Secretaria do Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) e deve visitar só nesta sexta-feira mais de cinco mil imóveis situados na divida entre os municípios.

Além da visita, fiscalização e campanhas educativas, o movimento terá ainda recolhimento de pneus inservíveis que quando mal acondicionados se transformam em criadouros do mosquito.

O diretor de Vigilância em Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Gildo de Paula, destacou que o período chuvoso requer a intensificação dos trabalhos. “É nesta época que o número de casos aumenta e então precisamos alertar as comunidades sobre os perigos de deixar água acumulada em diversos tipos de recipientes”, comenta.

Já o secretário municipal de Saúde de Aparecida, Luiz Edgar Tollini, comentou que é importante unir esforços contra o Aedes aegypti. “Temos uma região muito extensa de limites entre as duas cidades e que exige uma atenção redobrada. Por isso, unimos em torno desta causa”, afirma.

O secretário estadual de Saúde (SES), Leonardo Vilela, esteve presente na ação e ressaltou o espírito público e o bem comum. “Daremos total apoio a este movimento, pois as duas cidades concentram mais de 30% da população do Estado este é um problema que temos que combater, evitar que pessoas ainda percam a vida com as doenças causadas pelo mosquito”, declara.

Um dos moradores, Jamil Gonçalves, teve a casa visitada nesta manhã, no Parque Atheneu. Ele recebeu com muito carinho as equipes da SMS, que constataram o cuidado da família para não deixar acumular água em recipientes. “Temos muitas plantas no quintal e trocamos e lavamos as vasilhas para que não possam servir de criadouros para o mosquito Aedes aegypti”, conta.

Luciano Joka, da Diretoria de Jornalismo
Fotos: Paulo José

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *