Fila do chequinho vai chegar ao fim com novo sistema de regulação

Usuários do Sistema Único de Saúde em Goiânia vão marcar exames e procedimentos na própria unidade em que forem atendidos

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Central de Regulação de Vagas da Secretaria Municipal de Saúde, vai colocar fim à fila do chamado chequinho, documento que autoriza a realização de exames e procedimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na capital. Com o novo serviço, os agendamentos ocorrerão de forma descentralizada e fornecerá imediatamente aos usuários do SUS o tempo de espera e indicadores de posição na fila.

“É uma grande conquista para o paciente que não vai mais precisar se deslocar para uma unidade específica só para pegar a autorização. O sistema, que já vai começar a funcionar na segunda-feira, permite que o paciente saia da consulta com um pedido de exame de baixa e média complexidade como, por exemplo, ultrassonografia e raio-x, com data, horário e local definidos”, pontou a secretária de Saúde, Fátima Mrué.

Com essa informação em mãos, o usuário do SUS só vai se deslocar para a unidade no dia de realizar o procedimento. Para as cidades do interior, que tem pactuação com Goiânia, o sistema funciona da mesma forma, a diferença é que o secretário de saúde municipal vai fazer o pedido e o paciente só irá para a capital no dia marcado, evitando que haja aglomeração de pessoas todo início de mês, como ocorria no sistema anterior.

A expectativa, segundo a secretária, é de que dentro de 10 a 15 dias nenhum pedido de média e baixa complexidade esteja pendente, pois terá sido feito na própria unidade ou na cidade de origem. “O tempo de resposta ao cidadão já é uma realidade e o número de exames disponíveis na rede será bem claro. E o paciente terá, no futuro próximo, uma ligação no seu celular para avaliar o grau de satisfação do atendimento”.

A próxima etapa de implantação do novo serviço é para os exames de alta complexidade. “Já deve começar a funcionar assim que esta primeira fase estiver consolidada, ou seja, em torno de 15 dias. E desde agora estamos alimentando o sistema com as vagas de alta complexidade. Além disso, a nova plataforma vai possibilitar que a SMS controle efetivamente os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e rastreie, de forma integrada, os medicamentos disponibilizados pelo poder público”, destacou Fátima Mrué.

 

Transição

O usuário que tem o pedido de exame emitido pelo método antigo do chequinho, deve voltar à unidade onde foi atendido para que saia de lá com o exame agendado. Outra novidade é para os grandes prestadores, como Hospital das Clínicas, Santa Casa e Hospital Geral de Goiânia, que terão seus pedidos agendados no próprio local, para mais conforto e fidelização do paciente.

Durante o período de transição, a Prefeitura de Goiânia investiu na capacitação dos servidores administrativos e realizou cursos teóricos e práticos. Inicialmente, 141 unidades de saúde estão envolvidas no projeto. ‘É nosso trabalho resolver e oferecer uma assistência de qualidade aos pacientes. Não podemos concordar com a forma que estava’, reforça Fátima Mrué.

Rafhael Santana, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *