Pesquisa mostra variação de até 400% nos preços de produtos para o Dia de Finados

Técnicos do Procon visitaram seis floriculturas e pesquisaram 25 itens comuns, como flores, vasos e coroas

O Procon Goiânia realizou pesquisa nos últimos dias em floriculturas da Capital para identificar as variações nos preços de produtos como flores, vasos e coroas, que têm aumento da procura pelos consumidores devido ao feriado de Finados. A pesquisa foi realizada em seis locais, entre os dias 20 e 25 de outubro, e os técnicos do Procon constataram uma variação de até 400% nos preços de 25 itens averiguados.
O produto que teve a maior variação percentual, chegando a 400%, foi o tango, encontrado por R$ 3 em uma loja e R$ 15 em outro estabelecimento. Outro item com grande variação de preço foi o vaso médio de Bico de Papagaio, com variação de 250%, encontrado com o menor preço de R$ 10 e o maior R$ 35. As tradicionais coras de flor tiveram variações de acordo com o tamanho, sendo que quanto menor o arranjo maior a diferença de valor encontrada. As pequenas podem custar entre R130 e R$ 220. Já as maiores são vistas com preços entre R$ 190 e R$ 300, diferenciação de R$57,9%.

O Gerente de Cálculo do Procon Goiânia, Rafael Gouveia, explica que as variações de preços foram verificadas no período da pesquisa e que estão sujeitas a alterações. “Os preços podem tanto ser comercializados com variações maiores ou podem ser concedidos descontos especiais. O que vale mesmo é o consumidor pesquisar e economizar na hora de comprar os produtos para a data”, comenta.

De acordo com comparativos da mesma pesquisa realizada nos últimos três anos, nesta mesma época, de 2015 a 2017, houve aumento de preço de determinados produtos, tais como Crisântemo maço, variando entre 11% e 50% de aumento; a unidade da Rosa comum, com aumento entre 25% a 66%; e o vaso médio da Calandiva, tendo variação verificada entre 100% até 300%.

O superintendente do Procon, José Alicio de Mesquita, orienta que há uma grande diversidade de produtos e preços encontrados nos mercados, o que faz com que haja muitas diferenciações nos preços. “ A regra é fazer orçamentos, observar a qualidade, durabilidade e estar atento às promoções para levar os melhores e mais em conta, para economizar”, destaca

Luciano Joka, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *