Secretaria de Saúde anuncia fim da fila na Central de Regulação de Vagas

Previsão da gestão municipal é iniciar a operação do novo sistema dentro de dois meses

A implementação do novo Sistema Integrado de Gestão da Saúde Pública de Goiânia vai garantir o fim da fila do chequinho para a autorização de procedimentos na área da saúde. A informação foi anunciada nesta segunda-feira, 2, pela secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué. De acordo com a gestora, a previsão da Prefeitura de Goiânia é iniciar a operação do novo sistema da Central de Regulação de Vagas dentro de dois meses.

Inicialmente, 141 unidades de saúde estão envolvidas no projeto que integralizará todos os procedimentos realizados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Ao todo, segundo Fátima Mrué, 245 profissionais multiplicadores realizarão a operação do sistema. “O treinamento de operacionalização do sistema, inclusive, já foi iniciado”, disse, explicando em seguida que todas essas mudanças representam a reestruturação da Saúde de Goiânia. “A intenção é corrigir a atual situação, eliminando as filas intermináveis para a marcação de exames e oferecendo dignidade à população”, afirmou.

O investimento com o novo sistema de informática vai permitir que os procedimentos sejam agendados diretamente pelos médicos durante as consultas. “Ao finalizar o atendimento, o novo programa fornecerá imediatamente o tempo de espera e indicadores de posição na fila para atendimento, além de identificar o origem dos pacientes. Todas essas mudanças, que já deveriam ter sido promovidas, trarão mais eficiência para a gestão da saúde da Capital, uma vez que o atual sistema trabalha de forma manual e paciente precisa guardar os pedidos para levar no início do mês na Central de Regulação de Vagas”, explicou Fátima Mrué.

Conforme pontuou a secretária, o novo sistema vai possibilitar ainda a rastreabilidade dos medicamentos e insumos utilizados pelas unidades de saúde. “É humanamente impossível controlar de forma manual cada medicamento ou insumo adquirido pela secretaria. Atualmente, o rastreamento é feito desta maneira. Com o novo sistema, no entanto, a gestão terá o controle de todos os insumos por meio de um aparato altamente tecnológico e totalmente integralizado. Em breve, todas essas demandas e problemas serão apenas história”, garantiu.

Thiago Araújo, da editoria de Saúde

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *