Programa Escola Viva melhora estrutura física de 100 unidades educacionais

Lançado no início deste segundo semestre letivo, o programa é uma iniciativa da administração municipal que visa promover melhorias por meio da manutenção predial permanente das instituições

Com a realização de obras e reparos em 13 unidades educacionais da região Leste da Capital, onde acontece o próximo Mutirão da Prefeitura, nos dias 30 de setembro e 1º de outubro, o Programa Escola Viva, promovido pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), registra atendimento a 100 instituições, entre escolas e centros municipais de Educação Infantil (Cmei).

Nesta oitava edição do Mutirão serão beneficiadas as seguintes unidades: Cmei Água Branca, Cmei Cristiano Emídio Martins, Cmei Recanto do Saber, E.M Joõa Clarimundo de Oliveira, E.M Em Tempo Integral Silene da Andrade, E.M Wilmar da Silva Guimarães, E.M Ary Ribeiro Valadão, E.M Bárbara de Sousa Moraes, E.M Em Tempo Integral Jardim Novo Mundo, E.M Alice Coutinho, E.M Bom Jesus, E.M Mônica de Castro Carneiro e E.M Lions Goiânia Tocantins.

O Programa
Lançado no início deste segundo semestre letivo, o Programa Escola Viva é uma iniciativa da Administração Municipal que visa promover melhorias por meio da manutenção predial permanente das instituições. Ao longo de um ano, o programa terá o investimento de aproximadamente R$ 10 milhões, aplicados em todas as escolas e Cmeis que necessitam de serviços de reforma predial e ações preventivas constantes.

O investimento na conservação das instituições apresenta uma solução rápida para garantir mais qualidade estrutural das escolas e centros municipais de educação infantil (Cmei), pois os recursos financeiros são destinados direta e exclusivamente às unidades. Orientadas pela SME, as instituições, por meio do Escola Viva, têm mais autonomia e agilidade para custearem serviços de reparos e assim, manter a conservação dos prédios públicos.

Para o secretário de Educação e Esporte, Marcelo Costa, o programa viabiliza a transferência de recursos para a manutenção permanente dos prédios escolares. “O Escola Viva nos orgulha muito porque além do dinheiro, conseguimos mobilizar a comunidade escolar em torno do processo de conservação da unidade educacional. Nós repassamos o recurso para a escola, que com a comunidade viabiliza parte da mão de obra para completar o trabalho da Seinfra e Comurg. Isso suscita a participação popular que tem sentimento de pertença que o prédio público não seja do governo e sim da comunidade”, afirma.

“Nós comemoramos um marco de 100 instituições reformadas com recursos do Escola Viva. Em breve, terminaremos esse ciclo do Programa, reformando todas as unidades. E partiremos para a segunda etapa, que será a construção de parte das escolas, como salas de aula, sala de dança, biblioteca. Em seguida, retornamos com a manutenção. Esse ciclo permanente propicia que os prédios estejam sempre prontos para receberem as crianças. Uma escola boa, limpa e bonita, que propicie um ambiente favorável à Educação, aliado a um projeto bom pedagógico. Temos certeza que com isso teremos uma Educação de qualidade para Goiânia, Educação que o povo goianiense merece, pensada não para agora, mas para daqui a 20 anos”, acrescenta.

Lívia Máximo, editoria de Educação e Esporte

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *