Claudia Werneck participa do 1º Seminário sobre Arte, Comunicação e Acessibilidade

A escritora e jornalista, mãe da atriz Tatá Werneck, é conhecida por publicar livros sobre inclusão, tema que a fez conhecida como a voz dos direitos dos jovens deficientes

A Prefeitura de Goiânia, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), realiza nesta terça-feira, 26, o 1º Seminário sobre Arte, Comunicação e Acessibilidade. O evento, que faz parte das comemorações do mês nacional de luta dos deficientes, traz pela primeira vez em Goiânia a escritora e jornalista Claúdia Werneck, conhecida por publicar livros sobre inclusão e ser uma das referências internacionais a respeito do assunto.

Claudia Werneck se interessou pelo assunto quando teve que produzir uma reportagem sobre síndrome de Down. Dali em diante, a jornalista abraçou a causa e passou a trabalhar exaustivamente em prol da inclusão. “Eu sou tomada por essa luta por conta do que escrevi para revista Pais & Filhos, em 1992, que mudou toda minha cabeça. Ali me dei conta que eu tinha uma visão reduzida da humanidade. Eu fazia matérias sobre aleitamento materno, mas não dava dicas para a mulher que não tem um braço e precisa amamentar. Para ela, eu não escrevia. Escrevi o primeiro livro sobre síndrome de Down no país para leigos (Muito prazer, eu existo). Depois, parti para pensar democracia, acessibilidade, inclusão, sustentabilidade”, lembra Claudia.

A escritora conta que já vendeu mais de 300 mil exemplares divididos em mais de 14 livros. Claudia também é fundadora da ONG Escola de Gente, instituição fundada em 2002 que já promoveu atividades em 17 países, 21 estados brasileiros, e mobilizou mais de 485 mil pessoas por meio de 700 fóruns e conferências, além das mais de 82 mil publicações e sete mil horas de cursos de formação para jovens. “Para mim, inclusão é simplesmente fazer tudo pensando nas pessoas que existem. E não considerando pessoas que você gostaria que existissem. Inclusão é trabalhar com o real. O real também é uma população com deficiência, analfabeta, pobre, mas que muitas vezes é ignorada por quem pensa cultura”, destaca.

O evento, que será realizado na Escola de Formação de Professores e Humanidades da PUC Goiás, situado na Rua 227, no Setor Leste Universitário, também contará com a presença do prefeito de Goiânia, Iris Rezende, autoridades, professores e profissionais ligados ao tema de inclusão e acessibilidade.

De acordo com o secretário municipal de Direitos Humanos, Filemon Pereira, o objetivo do seminário é sensibilizar profissionais e a comunidade acadêmica sobre a temática da acessibilidade da comunicação. “A intenção é traçar estratégias que buscam minimizar as barreiras comunicacionais que geram restrições para as pessoas com deficiência em Goiânia. Diante disso, a sociedade, empresas, legisladores e a academia precisam discutir que as pessoas com deficiência também são consumidores de informação e precisam ter seus direitos de acessibilidades garantidos”, afirma.

As inscrições para o seminário podem ser feitas via internet.

Confira a programação completa do evento:

Dia 26 (Matutino)
8h – Credenciamento
9h – Mesa de Abertura
10h30 – Apresentação Cultural
11h – Palestra Inaugural: Pessoa com Deficiência, Comunicação e Direitos
Humanos
Expositora: Cláudia Werneck (Jornalista, idealizadora e fundadora da ONG Escola de Gente/RJ)
Debatedor: Professor Luiz Signates (PUC/GO)
Moderadora: Psicóloga Cidinha Siqueira (SMT/Goiânia)

Dia 26 (Vespertino)
I Eixo: Como a Mídia Pode Alcançar as Pessoas com Deficiência
14h às 15h30 Mesa Redonda: Pessoas com deficiência falam sobre as barreiras da comunicação na mídia, na arte e no cotidiano
Debatedores: Professora Marisa Eugênia (CEBRAV/GO)
Professor Audiê Gomes (SEDUCE/GO)
Professor Henrique da Silva Machado (Associação de Surdos de Goiás)
Moderador: Mauro Eduardo Cardoso (SEID/PI)
16h às 17h30 Mesa Redonda: Soluções para as barreiras enfrentadas pelas pessoas com deficiência nas relações de consumo de Mídia
Debatedores: Radialista Cloves Alberto Pereira (Organização Nacional de Cegos do Brasil – ONCB)
Professora Karin Bittar (Programa de Referência em Inclusão Social da PUC Goiás)
Elizeth Araújo (Diretora de Jornalismo da Secretaria Municipal de Comunicação de Goiânia (Secom)/ Goiânia)
Moderadora: Professora Denize Daudt Bandeira (Coordenadora do Programa de Direitos Humanos da PUC Goiás)

Dia 27 (Matutino)
II Eixo: Como a arte pode ser acessível a pessoas cegas ou surdas
8h30 às 10h: A Audiodescrição como recurso de acessibilidade das pessoas cegas ao cinema e à televisão
Expositora: Professora Soraya Ferreira Alves (UnB)
Debatedora: Professora Mary Land Brito, (IFB)
Moderadora: Professora Carolina Zafino (Escola de Comunicação da PUC/GO)
10h às 10h30 – Apresentação Cultural
10h30 às 12h Mesa Redonda – Tradução Libras/Português
Debatedores: Professor Raphael dos Anjos (UnB)
Professor Anderson Correia (UNICEUB/DF)
Professora Edna Misseno Pires (PUC/GO)
Moderadora: Professora Flávia Mota (Programa de Referência em Inclusão Social da PUC Goiás)

Dia 27 (Vespertino)
III Eixo: Como falam os meios de comunicação sobre e para as pessoas com deficiência?
14h às 15h30 Mesa Redonda – Abordagem das pessoas com deficiência pelos meios de comunicação: da exclusão ao sensacionalismo
Debatedores: Alisson Azevedo (TRE/GO)
Jornalista Eduardo Horácio (Rádio 730)
Professora Jullena Normando (Escola de Comunicação da PUC/GO) Moderador: Eduardo e Silva Sartorato (Jornal O Popular)
16h a 17h30 – Quebrando barreiras: casos de sucesso na arte inclusiva e na comunicação
Expositor: Jornalista Antonio José Ferreira (SUMPED/SMDHPA/Goiânia)
Debatedor: Jornalista Vassil Oliveira (Diário de Goiás)
Moderador: Jornalista Filemon Pereira (Secretário Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas/Goiânia)

Diego Reis, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *