Prefeitura realiza blitz educativa no Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

Ação ocorreu no Centro da Capital. Na ocasião, motoristas foram alertados sobre o uso indevido de vagas que são destinadas para as pessoas com deficiência

A Prefeitura de Goiânia, por meio das Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA) e Secretaria Municipal de de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), realizou nesta quinta-feira, 21, uma blitz educativa cujo objetivo foi alertar e conscientizar motoristas sobre a importância de respeitar as vagas que são destinadas exclusivamente às pessoas com deficiência. A ação ocorreu na Avenida Tocantins, no Centro, e contou com apoio do Sindicato dos Agentes de Trânsito de Goiânia (Sinatran).

O secretário de Direitos Humanos, Filemon Pereira, destacou que a campanha alertou a sociedade sobre os direitos das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. ‘Ação visou reafirmar os direitos dessas pessoas e alertar sobre a falta de ética dos motoristas que costumam usar desculpas quando são flagrados estacionados em vagas exclusiva’, afirmou.

Durante ação, motoristas foram abordados por agentes de trânsito e por servidores da Secretaria de Direitos Humanos, que distribuíram panfletos com orientações sobre vagas exclusivas. Para o titular da SMT, Fernando Santana, que também participou da iniciativa, o trânsito só será seguro quando os cidadãos respeitarem as normas estabelecidas. “Espero que esse trabalho não seja esquecido amanhã. Nosso objetivo é fazer com que todas essas ações educativas cheguem ao maior número de pessoas”, comentou.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), para estacionar em vagas reservadas os veículos precisam ter a Credencial de Estacionamento Especial em seu interior, sempre em local visível. Os modelos das credenciais que permitem a utilização das vagas reservadas foram uniformizados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e podem ser solicitadas na SMT.

Dados

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi instituído por iniciativa de movimentos sociais em 1982, e oficializado em julho de 2005. De acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência. Nas escolas, segundo dados do Ministério da Educação (MEC), o acesso de pessoas com deficiência aumentou 381% entre 2003 e 2014, com o número de matrículas saltando de 145.141 para 698.768.

Diego Reis, da Diretoria de Jornalismo

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *