Prefeitura prepara construção da terceira UPA de Goiânia

Atual Ciams Jardim América dará lugar a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas com capacidade para resolver 97% dos casos no próprio local. Processo de transferência da estrutura do Jardim América começa no próximo dia 02. Obras terão início ainda em outubro

O atual Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) Jardim América dará lugar a terceira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Goiânia. As obras, que começam na segunda semana de outubro, vão dotar o local de estrutura capaz de realizar atendimentos de complexidade intermediária, graças à disponibilidade de recursos como raio-x, eletrocardiografia, laboratório de exames e leitos de observação. Hoje, o Ciams Jardim América tem capacidade apenas para atenção primária.

Para aperfeiçoamento da unidade de saúde que atende a região sul de Goiânia, a atual estrutura física e de pessoal do Jardim América será transferida para o Ciams Novo Horizonte a partir do dia 02 de outubro. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é de que esse processo de migração ocorra ao longo de toda a semana e termine até o dia 6. Em seguida, o Ciams Jardim América será fechado para construção da UPA. “Inicialmente, propusemos à construtora que realizasse as obras parcialmente, mantendo uma ala em funcionamento enquanto a outra estava em obras. A empresa, no entanto, ponderou que esse formato prolongaria ainda mais o tempo de obras algo que, além de prejudicar a população, colocaria em risco os recursos que recebemos do Governo Federal, pois a verba tem prazo de utilização”, explica a secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué.

Os recursos para conversão do Ciams em UPA foram recebidos do Governo Federal em 2012, tendo dezembro de 2017 como prazo final para construção da unidade. Se a obra não tiver início agora, o dinheiro terá que ser devolvido ao Ministério da Saúde (MS). O Projeto da UPA do Jardim América encontra-se licitado desde julho de 2016. “A UPA é uma conquista muito grande para a população, não podemos prescindir de tamanho benefício. O prefeito Iris Rezende e a equipe da SMS empreendem todos os esforços possíveis para que esse recurso, que foi recebido e não utilizado pela gestão anterior; possa garantir esse tão importante investimento para a população”, acrescenta Fátima Mrué. O investimento na UPA Jardim América é de R$ 3.096.295,16.

Atendimento

As obras onde hoje funciona o Ciams Jardim América devem durar 180 dias, de acordo com cronograma de execução apresentado pela construtora  responsável pelos trabalhos. Ao longo desse tempo, o Ciams Novo Horizonte absorverá a demanda do Jardim América. Apenas 5,7 quilômetros separam as duas unidades. “Reconhecemos, claro, que o fechamento de qualquer unidade de saúde é sempre um transtorno e preocupa os cidadãos. Mas da nossa parte, garanto, não vamos deixar a população desassistida. Essa UPA é de extrema importância para melhoria da saúde pública em Goiânia. Não vamos abrir mão dela. Os transtornos passam, os benefícios ficam”, pondera a secretária municipal de Saúde.

Para receber os cidadãos que até então utilizam o Ciams Jardim América, a Prefeitura de Goiânia inclusive reformou a parte da urgência do Ciams Novo Horizonte. Foram investidos mais de R$ 80 mil em materiais para reforma da recepção, construção de uma Central de Materiais Esterilizados (CME), além de melhoria na parte elétrica e de alvenaria. Os trabalhos executados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) começaram no dia 12 de agosto durante o quinto Mutirão da Prefeitura e terminam neste final de semana.

Mudanças

A UPA Jardim América será maior do que o atual Ciams. A ampliação vai ser de 1.144,73 m². Na área total, que chegará a 2.216,45 m², haverá consultórios de clínica médica, pediatria e odontologia, leitos de observação para adultos e crianças, salas de medicação, nebulização, ortopedia, reanimação e uma ‘sala de emergência’, para estabilizar os pacientes mais graves até serem levados a um hospital. Além disso, contará com raio-x, Central de Materiais Esterilizados completa, eletrocardiografia, laboratório de exames, entre outros benefícios. Em todo o país, nas localidades que contam com UPA, 97% dos casos são solucionados na própria unidade. Isso reduz a demanda por vagas em hospitais, o que ajuda a desafogar os atendimentos de média e alta complexidades.

Nas UPA’s, que funcionam como unidades intermediárias entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e os hospitais; quando o usuário chega, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas. Nelas, é possível resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto, derrame e até pequenas suturas. Isso ajuda a diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais. As UPA’s funcionam sete dias por semana, 24 horas por dia.

Outra vantagem é que a UPA é um modelo que trabalha de forma integrada com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ao ligar para o número 192, o cidadão tem acesso a uma central com profissionais de saúde que oferecem orientações de primeiros socorros, além de definir os cuidados adequados a cada situação. Em muitos casos, o Samu presta o primeiro atendimento e encaminha o paciente a uma UPA. Goiânia tem duas unidades neste modelo, as UPA’s Itaipu e a Noroeste. A Jardim América será a terceira.

Giselle Vanessa Carvalho, da editoria de Saúde

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *