Música de servidor da Comurg vira tema de congresso internacional

Pelo segundo ano consecutivo, a canção Sobrevivente Sou é temática de evento que acontece em São Paulo, no Museu da América latina

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Comurg, tem representante no II Encontro Internacional de Sobreviventes da Poliomielite e Síndrome Pós-Pólio – 2017. Trata-se do servidor Silvio Sous que foi convidado pela segunda vez consecutiva para cantar sua canção no evento que acontecerá este ano no Memorial da América Latina, na Capital Paulista, entre os dias 20 a 24 de outubro. O simpósio reúne especialistas neurológicos e divulga as lutas e conquistas das pessoas com deficiências vitimadas pela pólio. Também contará com a participação de outros profissionais da área de saúde, residentes, estudantes e pacientes de diversos países.

A canção “Sobrevivente sou” foi escrita em 2016 e apresentada exclusivamente no congresso que aconteceu no México, no ano passado. A letra conta o relato da experiência vivida por um paciente que teve poliomielite e a confusão mental após a descoberta da síndrome pós-pólio. A composição ganhou repercussão internacional e foi traduzida para espanhol, inglês e alemão. Chegou a estampar as páginas da revista mexicana La Discapacidad En Accion, tendo a versão em espanhol interpretada por um cantor argentino.

Já na reunião deste ano, o evento contará novamente com a participação do músico e apresentação da música em espanhol e português. Sous é servidor da Comurg, onde exerceu a função de gari e atualmente é jornalista da Companhia. Ele também é músico autodidata e escritor. O artista acumula várias participações ao longo da vida em festivais musicais e literários, e mesmo assim, considera que o convite foi uma surpresa. “Sinto-me honrado em ter minha canção reconhecida principalmente nos segmentos da saúde, ainda mais em solenidades internacionais”, comemora.

O músico foi recebido pelo presidente da Comurg, Denes Pereira, que comentou a importância da participação do servidor Sous em um grande centro cultural paulista. “Esse servidor já colaborou muito na limpeza urbana de Goiânia e continua a contribuir com sua arte ao mostrar a diversidade artística da Comurg para outros estados e países”, diz.

A síndrome pós-pólio é uma doença que afeta cerca de 80% das pessoas que tiveram paralisia infantil e não tem cura. Os sintomas gerais são de fraqueza muscular, tanto em músculos afetados como em partes do corpo que não foram acometidas; dor nos músculos e articulações; fadiga; intolerância ao frio; dificuldades respiratórias, depressão e problemas para dormir.

Por iniciativa de pesquisas brasileiras, essa doença só foi reconhecida oficialmente e catalogada com código próprio em 2010 pela Organização Mundial de Saúde -OMS.

O EVENTO
Realizado pela Associação G-14 de apoio aos Pacientes de Poliomielite e Síndrome Pós-Pólio, Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, com apoio da Prefeitura de São Paulo, o evento objetiva mobilizar segmentos da sociedade civil, científica e política para a discussão da síndrome pós-poliomielite no Brasil. E tem a proposta de atualizar profissionais de saúde e pacientes, indicando caminhos para uma abordagem correta da doença.

Serviço:
Evento: II Encontro Internacional de Sobreviventes da Poliomielite e Síndrome Pós-Pólio – 2017
Local: Memorial da América Latina, em São Paulo
Data: 20 a 24 de outubro
Ingresso: Entrada franca

Foto: Luciano Magalhães
Márcia Tormin, da editoria de Urbanização

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *