Semas intensifica Campanha do Agasalho e acolhida de pessoas em situação de rua

Ação foi definida em função do período de frio intenso registrado na Capital

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), intensifica, a partir desta quarta-feira, 19, os trabalhos de abordagens e acolhimento de pessoas em situação de rua, tendo em vista o período de intenso de frio registrado nos últimos dias na Capital. Segundo a secretária de Assistência Social, Márcia Pereira Carvalho, a Campanha do Agasalho, que estava prevista para acabar no dia 31 de julho, se estenderá até meados de agosto ou enquanto essa frente fria, incomum em Goiânia, permanecer. A secretária lembra também que a Semas continua recebendo doações de cobertores nos três postos de arrecadação, Centro Pop, Casa da Acolhida e na sede da Secretaria, no Setor Aeroporto.

O plano de Ação da Semas, discutido em reunião na manhã desta quarta-feira, 19, se baseia em três pilares: abordar, acolher e aquecer. Para isso, três equipes do Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), com o efetivo de 25 pessoas, vão, a partir de hoje, em regime de plantão, diuturnamente, fazer as abordagens às pessoas em situação de rua em Goiânia, e toda e qualquer pessoa que quiser ser acolhida terá a vaga disponibilizada, dessa forma só existirá alguém em situação de rua, passando frio, se não aceitar o atendimento.

Para conseguir atender à demanda das pessoas em situação de rua, a Semas está disponibilizando, em regime emergencial, 350 vagas, nas três unidades administradas por ela: Complexo 24 Horas, Centro Pop e Casa da Acolhida, onde as pessoas irão receber alimentação e cobertores, podendo passar toda a noite sem se preocupar com o intenso frio da madrugada.
Durante a intensificação de ação do “Projeto Acolher e Aquecer” da Secretaria Municipal de Assistência Social, os telefones de plantão do SEAS (62) 98414 8997 e (62) 3254-7389 estarão disponíveis para que a população possa denunciar ou mesmo solicitar equipe para atender pessoas em situação de rua.

Eber Moraes, da editoria de Assistência Social

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *