Seplanh apresenta a vereadores estudo preliminar da revisão do Plano Diretor

Expectativa da pasta é encaminhar o projeto final ao legislativo goianiense até dezembro deste ano

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) apresentou na tarde desta quinta-feira, 06, aos vereadores da Capital, os resultados preliminares dos trabalhos realizados durante o primeiro semestre deste ano com vistas à revisão do Plano Diretor de Goiânia, instituído pela Lei Complementar n. 171/2007 e que deve ser encaminhada para apreciação do Legislativo no segundo semestre deste ano.

Durante a reunião, os técnicos da Seplanh Goiânia apresentaram o cronograma estabelecido pela Prefeitura de Goiânia para promover a revisão do plano e os trabalhos já executados pelo grupo técnico de servidores do município responsáveis pelos estudos. “Desde janeiro, o grupo técnico concentrou todos os esforços no trabalho de revisão do Plano Diretor e já realizou mais de 100 reuniões institucionais internas e externas para levantar dados e discutir questões inerentes a revisão. Partiremos, agora, pra segunda fase do cronograma, onde serão realizados prognósticos por cada um dos eixos estratégicos de desenvolvimentos englobados pelo plano”, afirmou o secretário de Planejamento Urbano e Habitação, Agenor Mariano.

Durante mais de duas horas, os técnicos da Prefeitura de Goiânia apresentaram o pré-diagnóstico realizado por três dos seis eixos de desenvolvimento do município estabelecidos pelo Plano Diretor 2007: Ordenamento Físico Territorial, Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Sóciocultural. Os outros três eixos – Desenvolvimento Sócio Ambiental, Acessibilidade e Transporte e Gestão Urbana – serão objeto de nova reunião com os parlamentares nas próximas semanas.

De acordo com Agenor Mariano, a intenção da Seplanh é promover uma ampla discussão com a sociedade sobre a revisão, o que deverá ocorrer no segundo semestre deste ano. “O Plano Diretor é algo que mexe com a vida de toda a população da Capital e ela precisa ser ouvida neste processo. Neste primeiro momento, acreditamos que devemos dar um tratamento mais técnico à revisão para que, quando tivermos definidos os pontos a serem revisados, possamos discutir com toda a sociedade a viabilidade dessas alterações apontadas pelos técnicos da prefeitura”, afirmou Agenor Mariano.

Willian Assunção, da editoria de Planejamento Urbano e Habitação

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *