Região de Campinas terá 200 agentes no combate ao Aedes aegypti

Com meta recorde, Secretaria Municipal de Saúde planeja vistoriar 30 mil imóveis localizados em 16 bairros que integram a área de abrangência deste Mutirão

Duzentos agentes de endemias fazem um mutirão contra o Aedes aegypti na região de Campinas, localidade que recebe nesta sexta-feira, 7, e sábado, 8, a terceira edição do Mutirão da Prefeitura, mobilização coletiva organizada pelo Executivo municipal com o propósito de aproximar poder público e cidadãos. A legião de servidores da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) planeja vistoriar 30 mil imóveis localizados nos 16 bairros que formam a área de abrangência de mais essa ação que leva serviços itinerantes e gratuitos à população.

A operação objetiva combater focos do transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e do zika virus, além de conscientizar a população sobre a importância do combate preventivo ao mosquito, cujas larvas se desenvolvem em água parada. O Mutirão de Campinas recebe, até agora, a maior quantidade de agentes que atuam contra a proliferação do Aedes aegypti. No primeiro Mutirão da Prefeitura, realizado nos dias 3 e 4 de junho no Parque das Flores, 60 servidores da SMS estiveram em 9.567 imóveis da Região Norte e retiraram das ruas 1,5 mil pneus, potenciais criadouros do mosquito. Já no segundo Mutirão, que aconteceu no Parque Atheneu nos dias 25 e 26 do último mês, 70 agentes vistoriaram 17.230 imóveis e coletaram 4,3 mil pneus na região Sul. Nesses, foram encontrados 269 focos do Aedes.

O combate ao mosquito é agenda permanente da Secretaria de Saúde nas edições do Mutirão da Prefeitura porque, segundo o prefeito Iris Rezende, a prevenção é o único caminho para se evitar epidemias. ‘O poder público e a população devem se unir no combate ao Aedes, principalmente no período chuvoso”, pondera o chefe do Executivo. Apesar da queda de 80% no número de casos de dengue registrados pelo Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, na comparação entre os primeiros três meses deste ano e o mesmo período de 2016, a contenção dos casos depende de cuidado permanente. O Aedes, independente dos índices, é sempre motivo de alerta.

“Quando a sociedade ajuda e se mobiliza, os resultados acontecem. São resultados preventivos positivos que buscamos com a operação contra o Aedes nos Mutirões da Prefeitura”, afirma a secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué. Nos mutirões, os agentes da SMS atuam na verificação, principalmente, de recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água da chuva, além de checar, entre outros, criadouros naturais, a exemplo de bromélias, bambus e buracos em árvores. Também conversam e tiram dúvidas dos cidadãos a respeito do combate ao mosquito. Nos dois mutirões deste ano, foram vistoriados 28.297 imóveis.

O Aedes aegypti é menor do que um mosquito comum, é preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas, dotado de asas translúcidas e não produz ruído audível ao ser humano. A fêmea, que se alimenta de sangue, produz ovos e os deposita próximos a superfícies de água limpa, que favorecem a sobrevivência. No momento da postura os ovos são brancos, mas depois se tornam negros e brilhantes. A fêmea chega a colocar entre 150 e 200 ovos. Se estiver contaminada por vírus como o da dengue, ao completar o ciclo evolutivo, cujas quatro fases – ovo, larva, pupa e adubo – demoram entre sete e nove dias; cada ovo resultará em um mosquito possível transmissor da doença. Em média, cada Aedes vive cerca de 30 dias.

Balanço
Além de medidas para o controle do Aedes, a SMS atua no mutirões com ações preventivas e por meio da prestação de serviços que atendem a demanda reprimida em Saúde. Ao todo, nas duas primeiras edições do Mutirão da Prefeitura, a secretaria contabilizou a realização de 37.241 serviços. No topo desse ranking está o serviço de vacina que, até agora, resultou em 2.514 imunizações. Em seguida aparecem aferição de pressão (1.672), exame de glaucoma (1.017), avaliação de Índice de Massa Corporal (967), teste de glicemia (738), avaliação de risco cirúrgico (419), consulta oftalmologia (409), teste de daltonismo (400) e medição de colesterol (325). A lista de serviços já prestados pela Secretaria Municipal de Saúde ainda inclui consultas com dermatologista (98), nutricionista (97) e otorrinolaringologista (75), exame de eletrocardiograma (96), atendimento clínico pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu (03) e capacitação em reanimação (114). Embora com público não quantificado, a Secretaria Municipal de Saúde também levou ao mutirões exposições educativas sobre o Samu e sobre animais peçonhentos, feitas pelo Departamento de Zoonoses.

Giselle Vanessa Carvalho, da editoria de Saúde

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *