Semas qualifica famílias de baixa renda em oficina de panificação

Iniciativa tem como objetivo possibilitar a geração de renda e estimular o empreendedorismo

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, oferta diversas oficinas de qualificação profissional. As atividades são realizadas nos centros de Referência de Assistência Social (Cras) e nos núcleos de Assistência Social (Nas) e têm como objetivo possibilitar o acesso à qualificação profissional, à geração de renda, assim como estimular o empreendedorismo.

Os cursos são destinados às famílias de baixa renda atendidas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) inseridas nas unidades, mas também são abertos à comunidade da região de abrangência de cada unidade.

Um dos cursos mais procurados é o de panificação, ministrado toda sexta-feira, das 8h às 11h, nas dependências do Cras Curitiba II, localizado na Rua JC 22 Quadra 12 A Lote de 01 a 15 – Bairro: Jardim Curitiba II.

A atividade tem duração de três meses e é totalmente gratuita. Atualmente, 15 pessoas participam da iniciativa, mas novas turmas serão formadas após o término do curso.

Além do pão francês, os alunos aprendem a produzir pão caseiro, rosca, pão de queijo, broa temperada, bolos de diversos sabores, salgado americano, pizzas, dentre outros.

A produção é dividida entre os integrantes e parte vai para suprir a alimentação das crianças atendidas na unidade.

O curso é ministrado pelo orientador Rivalino Custódio, que, além de ensinar como fazer diversos tipos de pães, ainda orienta os alunos a quantificar os produtos, os tipos de ingrediente usados em cada receita e quanto tempo a massa deve permanecer no forno.

A titular da Semas, Márcia Carvalho, salientou que o órgão se preocupa com a qualificação profissional das pessoas atendidas em suas unidades. ‘Vamos capacitar as pessoas para que tenham mais chances no mercado de trabalho e melhorar a qualidade de vida das famílias atendidas pela Asssitência Social, para que elas possam até abrir seu próprio negócio ”, enfatizou.

Roberta Amorelli, da editoria de Assistência Social

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *