Unidades educacionais promovem ações de combate à violência sexual

Passeatas, palestras, aulas, exposições, debates e exibição de filmes integram a programação de escolas e Cmeis

As escolas e os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) iniciaram nesta semana as ações propostas dentro do projeto do Dia de Enfrentamento da Violência Sexual contra a criança e adolescentes, que conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), com o objetivo de promover a informação e a conscientização sobre o problema social.

Hoje, 10, na Escola Municipal Joel Marcelino, na Vila Finsocial, a partir das 19h30, os alunos da Eaja assistem palestra da delegada Cássia Sertão sobre a temática. Também haverá roda de conversa sobre o filme “O silêncio de Lara”. As ações nas unidades educacionais seguem até o fim do mês. No próximo dia 18, ainda dentro da programação, ocorrerá um movimento na Praça do Bandeirante, no Setor Central da Capital, com a participação de todos os envolvidos.

Já a Escola Municipal Orlando de Moraes promove nesta quinta-feira, 11, a partir das 7h, uma caminhada e ato simbólico em frente à casa da ex-aluna Ana Clara Camargo, morta no início do ano. No decorrer da manhã, os alunos também participam de apresentações culturais. Já no noturno, os alunos da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja) assistem ao documentário “Caso Araceli”, seguido de debate.

De acordo com a apoio técnico da gerente de inclusão, diversidade e cidadania da SME, Lucinete de Oliveira, a pasta atua na prevenção e enfrentamento da violência doméstica e institucional contra crianças e adolescentes. “Pelo dia 18 de maio ser de abrangência nacional, fazemos questão de promover diversas atividades com a intenção de que nossos alunos, a comunidade escolar e, principalmente as famílias, recebam informações e se conscientizem da importância de estar sempre alerta”, ressaltou.

Na noite de ontem, 9, na Escola Maria da Terra, no Bairro Floresta, os alunos da Eaja participaram de um momento com palestra, debate e atividades culturais dentro da proposta. O diretor pedagógico da SME, Manoel Bomfim, esteve com os alunos e abordou o tema. “Foi muito proveitoso. Todos se interessaram e participaram do debate. Aqui é um setor perigoso, e os alunos precisam saber se prevenir, as famílias também”, pontuou a diretora da escola, Danielle Nunes.

Lívia Máximo, editoria de Educação e Esporte – Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *