Bosque dos Buritis recebe nova edição do Arte no Bosque

Projeto prevê uma série de intervenções artísticas com objetivo de tornar o espaço público um bem cultural e ponto de encontro da comunidade

A Secretaria Municipal de Cultura (Secult), por meio do Centro Livre de Artes (CLA) e do Museu de Artes de Goiânia (MAG), promove no próximo sábado, 6, mais uma edição do projeto Arte no Bosque, no Bosque dos Buritis. A programação do “Trabalharte – Uma Homenagem ao Trabalho Artístico” conta com apresentações de dança e música, exposições artísticas e atividades recreativas gratuitas. As atividades têm início às 8h e se estenderão até às 18 horas.

Simbolicamente será cobrado o “Ingresso Consciente” que consta de tampinhas plásticas que serão doadas a entidades filantrópicas e revertidas em instrumentos de auxilio à mobilidade, como muletas e cadeiras de rodas, além, é claro, de conscientizar para o cuidado com o meio ambiente e o combate ao Aedes Aegypti, já que as tampinhas descartadas de forma irregular viram criadouros do monsquito transmissor da dengue.

O projeto prevê uma série de intervenções artísticas a serem realizadas no Bosque dos Buritis no ano de 2017. O objetivo é tornar o espaço público um bem cultural, ampliando o acesso às diversas linguagens da arte e a revitalização do espaço como ponto de encontro da comunidade no exercício da cidadania.

Além da Prefeitura, o projeto conta com o apoio da Associação dos Protetores do Bosque, Associação dos Amigos do MAG, Associação dos Amigos do Centro Livre de Artes, Arte Plena Produções Artística e moradores das imediações.

Programação

08h – MOSTRE SUA ARTE

Durante todo o evento, um painel ficará à disposição com materiais para a livre expressão das pessoas presentes no evento.

Facilitadores: Equipe de Artes Visuais

08h – EXPOSIÇÃO – MAG

Exposição da Coleção MAG ITINERANTE, com obras de arte do acervo permanente do Museu de Artes de Goiânia. Os trabalhos estarão expostos ao ar livre e constam de pinturas de importantes artistas goianos. Exposição dos artistas plásticos: Macelo Solá e Sandro Torres nas salas Amauri Menezes e Reinaldo Barbalho no Museu de Artes de Goiânia.

08h – TAI CHI CHUAN

O Tai Chi Chuan (em chinês: 太 極 拳 pinyin: Tàijí quán) é uma prática corporal chinesa centenária, conhecida pelos benefícios para a saúde e longevidade. Também é conhecido como uma arte marcial de estilo suave, que proporciona relaxamento da musculatura. Diferencia-se das artes marciais de estilo duro (hard), que se baseiam na tensão muscular. A prática do Tai Chi Chuan busca trabalhar o corpo todo, harmoniosamente. Cultiva a energia vital interna (chi) e proporciona equilíbrio, firmeza e flexibilidade a seus praticantes.

Professor: Marco Antônio Lazarin (Autorizado pela Society for Nanlaoshu, Nova York, EUA).

09h – Moda e Arte nos Parques de Goiânia e Mostra de Arte Urbana

Apresentação dos projetos Moda e Arte nos Parques de Goiânia e Mostra de Arte Urbana, com intervenções artísticas de performances e instalações realizadas pela Arte Plena Produções Artísticas. Um espaço para o descanso, a concentração, a imaginação, a lembrança, o afeto, o acolhimento, o encontro, a paz. Um redário, uma rede, uma “net” diferente e outras instalações artísticas. Um tempo para si mesmo.

09h – LEVANDO ARTE

O Levando Arte é uma ação que tem como objetivo presentear a comunidade com trabalhos artísticos realizados pelos alunos e professores do Centro Livre de Artes. Cada pessoa terá a oportunidade de apreciar a exposição dos trabalhos ao ar livre e ao final da mesma (11 e 17 horas) poderá levar para casa uma obra de arte de sua escolha.

Professores artistas: Ana Cristina Elias, Cacilda Vitória, Carlos Henrique (Kim), Cristiane Brandão, Fernanda Coelho, Gildo Teixeira, Judson Castro, Fly Brandão, Vagner Rosafa, Anne Motta, Ivone Cunha, B. Nogueira, Lucélia Badan, Márcia Sales, Lúcia Nogueira, Maria Tereza Musse, Izilda Barros, Marli Gonçalves, Simone Marçal, Surama Bertolucci, Fabíola Maranhão, Alessandra Fortunato, Lourdes Silva, Lívia Zago, Giovana Virgonalto, Barbara Miyuki, Tatiane Fiuza, César Rodrigues, Lú Silva.

09h – AS LAVADEIRAS

Performance do Grupo Experimental de Dança do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte (GED), designado a produções em dança. O mesmo surgiu a partir da necessidade de contextualizar a dança como manifestação artística e como área de conhecimento relacionada à práxis pedagógica. Trata-se de um grupo composto por professores da rede estadual de ensino, o qual suscita pesquisa e estudos em dança destinados à produção e viabiliza a realização de apresentações com a finalidade de formação de plateia.

Bailarinas performers: Danuza Araújo, Edelweiss Vieira, Monia Santana.

09h– PINTURA FACIAL

Com uma pegada lúdica, será realizada pintura decorativa nos rostos das crianças que estiverem presentes no evento na parte da manhã.

Artistas: Flavia Brandão, Surama Bertorucci.

09h – AULA PÚBLICA DE BALLET

Em comemoração ao dia das mães, teremos uma aula pública com mães e filhas do curso de ballet do Centro Livre de Artes, visando uma vivência desta modalidade por parte das participantes, bem como a valorização dos laços afetivos entre as mesmas.

Professora: Letícia do Valle.

09h30 – DANÇA CIRCULAR

O círculo de dança é inclusivo. É a composição de forças criativas e organizadoras com movimentos no centro de uma roda. O centro que se conecta com o meu centro, com o compromisso comigo e com o outro. Onde me conecto com o Universo como um todo, com o sagrado. Dança quem sabe e os que estão aprendendo!

Focalizadora: Márcia Conrado.

10h – MONALISA

Performance artística onde desenhos são produzidos com a queima aleatória de pólvora.

Artista: César Rodrigues.

10h – RENATO OLIVEIRA

O músico Renato Oliveira, voz e violão, acompanhado pelo percussionista Randal Braz, apresenta uma releitura musical em seu repertório com canções nacionais e internacionais. Ambos os artistas são professores de música e ministram aulas no Centro Livre de Artes.

Músicos: Renato Oliveira, Randal Braz.

11h – CAIXINHA DE SURPRESAS e UMA FLOR PARA MAMÃE

Apresentações com o objetivo de homenagear as mães dos alunos da Oficina Infantil e Oficina Som e Cor, ambas do Centro Livre de Artes. As oficinas trabalham com o público infantil e terceira idade e desenvolvem atividades nas linguagens de música, artes, teatro e expressão corporal.

Professores: Alessandra Fortunato, Cristiane Côrtes, Danilo Verano, Flávia Brandão, Laís Zorzetti, Lívia Cornélia, Mônica Medeiros, Rosana Reis Miranda, Vania Soares, Wheide de Mello.

12h – INTERVALO (almoço)

14h – ADRIEL VINÍCIUS

Representante do S.A. VIBE, grupo com influencias de rock, rap e reggae, Adriel Vinícius é produtor, vocalista, guitarrista e compositor e com sua poesia, traz ao projeto, suas influencias do reggae, blues, samba e R&B.

Com uma carreira consistente, os músicos colecionam experiências adquiridas em seus projetos, onde juntos e separadamente já dividiram o palco com grandes nomes nacionais e internacionais, como Edi Rock, Racionais, Cone Crew, Start, Projota, Natiruts, Ponto de Equilíbrio, Planta e Raiz, Andrew Tosh, Kymani Marley, Damian Marley, Raimundos e outros.

Em suas letras, que em sua maioria exploram temas do cotidiano comum, união e amor ao próximo, a intenção é clara: através dessa mistura de cores e sons, tocar não somente os corações e as mentes dos ouvintes, mas tocar também a história.

Músicos: Adriel Vinícius, Randal Braz (participação).

15h DANÇA DE SALÃO

Aula Aberta de dança de salão onde todos os presentes poderão participar.

Professor: Peter Lúcio.

16h – DERIVAS URBANAS

Baseada no espetáculo Beladona a deriva se define como um “comportamento ‘lúdico-construtivo’; ligada a uma percepção-concepção do espaço urbano enquanto labirinto: espaço a ‘decifrar’ (como decifrando um texto com características secretas) e a descobrir pela experiência direta.” (New Babylon, Constant – Art et Utopie, p. 14)

Entre os diversos procedimentos situacionistas, a deriva se apresenta como uma técnica da passagem ativa através dos variados ambientes. O conceito de deriva está indissoluvelmente ligado ao conhecimento dos efeitos de natureza psicogeográfica, e à afirmação de um comportamento lúdico-construtivo, o que o opõe em todos os pontos às noções clássicas de viagem e de passeio.

NÔMADES GRUPO DE DANÇA – Direção Artística: Cristiane Santos; Coordenação Geral: William Bernardes; Interpretes: Lais Guerra, Ludmila Rocha, Jayme Marques, Jerson Lines, Julia Ormond, William Lima.

16h30 – ESPALHANDO ANGOLA

A Capoeira Angola é um saber ancestral, passado de geração em geração por meio de ensinamentos de velhos mestres capoeiristas. Na atualidade conta também com a sabedoria das mestras, as quais têm mostrado a importância da mulher para a continuidade deste saber, contribuindo cada vez mais com essa manifestação cultural afro-brasileira.

O movimento Espalhando Angola se iniciou em 2013 e, de lá pra cá, têm possibilitado uma aproximação entre essas mulheres angoleiras, os angoleiros e a comunidade goianiense, bem como a divulgação da Capoeira Angola para os mais variados públicos.

A presença da mulher na Capoeira Angola tem sido ressaltada em várias ações e eventos, uma prática que se espalha Brasil e mundo afora, que se fortalece em Goiânia. Aqui, um coletivo de mulheres Angoleiras, a partir das experiências acumuladas em seus grupos, encontra-se uma vez por mês para capoeira em algum espaço público e trocar saberes sobre essa arte-luta ancestral. E assim, vão Espalhando Angola por Goiânia e sua região metropolitana.

Coletivo de Angoleiras: GRUPO BARRAVENTO – professoras Ana Paula (Pimenta) e Flávia Bicalho (Boneca); GRUPO FICA-GO – Flávia Dayana, Janaina Gomes e Janayna Nogueira.

17h – Show com CLAUDIA GARCIA

Cantora paulistana residente em Goiânia há 11 anos, Claudia Garcia descende de uma família musical. A mãe Elza Garcia, pianista e fundadora do Conservatório Música Frédéric Chopin e o pai, Antônio Alfredo cantor e compositor da extinta TV Tupi.

Estudou canto popular na Universidade Livre de Música na capital paulista. Foi finalista do Prêmio Vida – edição vocal, e de lá pra cá se apresenta em eventos e produz seus shows, tais como:

Por causa de VC – Tributo à Dolores Duran e Claudia Garcia canta Roberto Carlos, os dois já na quinta edição; Gonzaguiando entre amigos – com canções de Gonzaguinha, com nove edições; e Claudia Garcia e as canções de Elis, já na segunda edição.

Em maio realizou o pré-lançamento do seu primeiro disco, no teatro SESI, no show ‘Soul Claudia’, que retrata o repertório musical de sua trajetória.

A cantora se apresentará acompanhada do talentoso violonista e guitarrista goiano Matheus Guerra, que é formado pela Universidade Federal de Goiás onde foi orientado pelo professor Fabiano Chagas.

Músicos: Claudia Garcia, Matheus Guerra, Randal Braz.

ARTESANATO

A Gerarte l é uma associação formada por usuários da saúde mental que tem por objetivo a inclusão social pelo trabalho e a geração de renda, tendo na Reforma Psiquiátrica e na Economia Solidária suas origens e princípios fundantes.
Faz parte da rede pública municipal de saúde mental – Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia – e reúne usuários, familiares e equipe multiprofissional (artesãs, assistente social, artes cênicas, artistas plásticos, arte educadores, arte terapeuta) na produção e comercialização de artesanato.

O projeto articula em seu funcionamento a transversalidade em três áreas: Saúde – Trabalho – Artes.

SERVIÇO
Projeto Arte no Bosque
TRABALHARTE – Uma Homenagem ao Trabalho Artístico
Dia: 06 de Maio de 2017
Horário: das 8h às 18h
Local: Bosque dos Buritis (Rua 01, n. 605, Bosque dos Buritis, Setor Oeste)
Mais informações: Clã de Apoio a Produção – Randal Braz (62) 98112-9642

Janda Nayara, da editoria de Cultura – Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *