Procon Goiânia intensifica ações de fiscalização na Capital

Órgão de defesa do consumidor realizou manutenção de sua sede, quitou despesas continuadas e voltou a auxiliar consumidores

De janeiro a início de abril deste ano, o Procon Goiânia realizou a manutenção física de sua sede, quitou débitos que estavam atrasados desde novembro com fornecedores que ofertam serviços de água, energia elétrica e telefone, e voltou a auxiliar os consumidores da Capital com pesquisas de comparação de preço e fiscalizações. No período, o órgão municipal fiscalizou a comercialização de pescados e frutos do mar em mais de 40 peixarias, montou uma operação em supermercados para evitar a venda de produtos fora do prazo de validade, comparou preços de ovos de Páscoa e autuou centros de formação de condutores por irregularidades, lojas de fantasia e blocos de Carnaval por ausência de alvarás de funcionamento, de prevenção e proteção contra incêndios e por falta de informações de preço.

De acordo com o superintendente do órgão, José Alício de Mesquita, a atual gestão encontrou o Procon Goiânia em situação crítica. “Os telefones estavam todos suspensos e os equipamentos sucateados. O órgão devia mais de R$ 30 mil de despesas continuadas que estavam atrasadas desde 2016. Em menos de três meses, quitamos esses débitos, reformamos, com o auxílio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, o prédio do órgão, realizamos manutenções hidráulicas e dos ares-condicionados, consertamos os computadores dos servidores e recuperamos seis veículos que estavam inoperantes. Foi um verdadeiro trabalho de reestruturação”, afirma.

Em seguida, os servidores realizaram uma força tarefa para agilizar os processos, as demandas e as denúncias dos consumidores que estavam pendentes. “Hoje, já estamos atendendo normalmente os cidadãos. Todos os meses fiscalizamos, por exemplo, as companhias de telefone celulares e TV por assinatura e realizamos levantamentos de variação de preços praticados pelo comércio varejista goiano a fim de garantir os direitos dos cidadãos”, salienta o superintendente.

O consumidor que se sentir lesado com a compra ou aquisição de qualquer produto ou que queira realizar denúncias pode procurar a sede do Procon municipal para registrar a reclamação. “As denúncias que chegam ao órgão são todas apuradas e averiguadas. Para que isso ocorra, a população deve procurar a nossa sede, que fica localizada na Avenida Tocantins, número 191, no Setor Central, ou entrar em contato pelo telefone 3524-2949”, finaliza José Alício.

Thiago Araújo, da Diretoria de Jornalismo – Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *