Curso de Hortas Urbanas está com inscrições abertas

São 16 vagas oferecidas para formação, que é gratuita, mas prefeitura estuda ampliar proposta e implementar hortas comunitárias em toda Capital

A Horta Modelo implantada pela Prefeitura de Goiânia no Paço Municipal será a sala de aula para formação oferecida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), via Diretoria de Abastecimento e Agricultura Familiar. Local sediará o Curso de Hortas Urbanas que é gratuito e disponibilizado para pessoas acima de 16 anos.

A data para ocorrer a formação ainda não foi definida e depende da demanda de inscrições. Assim que as 16 vagas forem preenchidas, o diretor de Abastecimento e Agricultura Familiar, Rodrigo Miranda Ribeiro, fará a devida divulgação de quando acontecerá o curso. “Repassaremos todo conteúdo programático em três dias. A duração é de 24 horas, sendo 8 horas por dia, das 8 às 12h e das 14 às 18h”, explica Rodrigo.

Os interessados devem efetivar a inscrição presencialmente na própria Diretoria de Abastecimento e Agricultura Familiar, localizada na Avenida do Cerrado, nº 999, Park Lozandes, Bloco B, sede da Sedetec. Para garantir a participação no curso, devem ser apresentados os documentos de Identidade, CPF e comprovante de endereço.

Segundo o diretor Rodrigo Miranda, o conteúdo do curso será ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Durante repasse de orientações, o aluno deve usar roupas que o protejam do sol, além de botina, chapéu ou boné.

A possibilidade de abrir novas turmas para realização do Curso de Hortas Urbanas é avaliada por Rodrigo Miranda. Ele assegura que, dependendo da procura nesta edição, estuda ampliar a formação por toda Capital. “Esta, na verdade, não é a primeira atividade que fazemos na área de hortas. Entre os dias 6 e 9 de março, oferecemos este mesmo a curso a 15 pessoas em situação de rua. A ideia é iniciar uma turma a cada semana”, destacou Rodrigo.

Sobre a importância de ser fazer hortas urbanas na cidade, Rodrigo Miranda afirma que há inúmeros motivos para que o goianiense seja adepto desta prática. “Há a questão de se cultivar alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos para famílias em situação de vulnerabilidade social e risco alimentar. Além disso, é uma ação que favorece o meio ambiente, visto que a intenção é levar essas hortas a terrenos que não estão sendo devidamente aproveitados. Promove ainda o embelezamento do município, a purificação do ar e a cooperação social entre as pessoas que têm acesso a uma horta comunitária”, finaliza o diretor.

Luciana do Prado, da Diretoria de Jornalismo Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *